Frenemy - Capítulo quinze / 1ª Primeira Temporada

Um comentário:

Capítulo quinze - Abrindo o jogo


Você é um humano agora, e quando os humanos querem muito uma coisa eles mentem - Supernatural


Antes

- O que que aconteceu?
- Grands Champs, temos que ir pra lá.


- Você não é tão ameaçador agora, não é Maninho?
- Vá para o inferno.

- Eu nunca serei um de vocês.
- Ah sim, pode apostar. Quem sabe até me substituir talvez.

Agora

Narrador On.

- Seja esperto e se afaste dele o quanto antes - Louis franziu o cenho. Ele não sabia, não é? - Eu sei de tudo Louis, sei que se ''aliou'' a um demônio.
- Como você...?
- Não importa. Apenas faça oque eu mando.
- Ele não é como os outros, eu prometo.
- Ele é um demônio, ele mente.
- Ele não é como os outros, ele não me machucaria.
- E o que te faz acreditar que não? - Louis suspirou.
- Você não deve saber mas eu o conheço a um tempo, não acha que se ele quisesse me matar teria o feito antes?
- Não vou permitir que se vejam novamente.
- Você não pode nos impedir.
- Bem, nesse caso se eu os vir novamente juntos terei de matá-lo - E Louis engoliu em seco rendendo-se.
   Ouviram alguém bater na porta e rapidamente levaram á atenção até a mesma. Uma enfermeira de uniforme branco com um pequeno copo descartável entrou no quarto.
- Tome isso, sim? - Disse entregando o copo a Louis. Que olhando dentro viu dois comprimidos. Os engoliu mesmo sem água, já tinha engolido muita coisa pior. Fez uma careta.
- Fiquei preocupado.
- Me desculpe, tive que ir.
- Você não vê quantas vidas colocou em risco Louis?
- Eu sei vô, eu sei. Mas eu precisava, era o Niall.
- Não é a primeira vez que você põe vidas em risco e não vê as consequências, você também corria risco.
- Eu salvei a vida do Niall e aceito um ''parabéns'' - Ele já tinha perdido a paciência. Marcus negou com cabeça.
- Eu sabia que ele não seria o suficiente - Proferiu mais para si mesmo que para Louis.
- O que?
- Eu tenho que ir Louis.
- Pra onde você vai?
   E se levantou sem responder nenhuma das duas perguntas de Louis, apenas jogou uma chave preta de carro para o mesmo e saiu. Ele franziu o cenho para aquilo mas ignorou, queria mesmo era que Niall acordasse, mas o mesmo dormia como um anjo, e era uma pena que ele não fosse mais um. Louis suspirou.
- Por que não me contou?! - Disse Liam entrando no quarto de supetão. Louis fingiu não entender - Não faça essa cara, você sabe do que estou falando.
- Você iria matá-lo!
- Talvez você tenha se esquecido mas eu refresco sua memória, ele é um demônio! - Arqueou as sobrancelhas.
- Quer parar de gritar? Ainda estamos em um hospital - Louis bufou.
- Não mude de assunto, ainda estamos falando da sua aliança com um demônio.
- Por que não podem simplesmente entender que ele é diferente?
- Acho que você se esqueceu novamente, deixa eu refrescar a sua memória novamente. Ele fez do Niall um humano, ajudou Zayn a fazê-lo perder a Graça Divina. Então não, ele não é diferente.
- E desde quado você virou amiguinho do Niall? - Louis arqueou as sobrancelhas - Eu não disse que o perdoei, está me vendo saltitando feliz jogando flores pela floresta com ele? - Liam bufou.
- Olha, se vamos trabalhar juntos é bom que saiba a verdade - Louis semicerrou os olhos - Fui eu quem libertou Lúcifer - Ouviram Niall suspirar mas o mesmo ainda dormia, Louis ainda não entendia muito bem o que havia acontecido, ele gostava de acreditar que Liam não tinha realmente o feito - Eu quebrei os último selo.
- Selo?
- Pense nos selos como trancas, a última se abre e Lúcifer sai livre.
- Mas você... Como é possível?
- Convoquei Lilith, um demônio muito poderoso. O último selo era um sacrifício, torturar almas - Louis o olhou com os olhos arregalados - Não, eu não estive no inferno. Mandamos um homem qualquer para lá e quando o mesmo dizia que não aguentava mais Lilith lhe dava a opção de sair caso o mesmo torturasse algumas almas, ele não aceitou de início mais a medida que o tempo passou a opção que Lilith lhe deu foi ficando cada vez mais tentadora, e uma hora ele não aguentou - Niall se remexeu na cama.
- Mas por que você o fez?
- Eu queria vingança.
- Zayn o fez algo?
- Sim. Matou minha mãe - Louis franziu o cenho.
- Como? O que ele fez?
- Ele a queimou viva, no teto. Mas ele me marcou, cortou seu pulso e eu bebi seu sangue - E virou o rosto não querendo se lembrar daquilo.
- Liam você é... Você é médium?
- Tipo, entortar colheres?
- Não. Você faz alguma coisa especial? - Liam o olhou como se ele fosse louco. Mas colocou a mão no queixo como se pensasse em algo.
- Para falar a verdade, eu já jurei ter conseguido mover um copo. Eu era criança, então achei que estivesse ficando maluco, mas se você considera isso um dom... - E deu ombros.
- Vamos, move isso - E o entregou as chaves que seu avô lhe dera.
- Hey não é assim. Eu acho que só consigo trabalho sob pressão - E num movimento rápido Louis jogou uma faca qualquer em direção a Liam que milésimos antes de a mesma tocar seu rosto parou-a no ar e simplesmente pegou-a com sua mão - Tá ficando louco?
- Fascinante - Disse ao receber de volta a faca - Isso teria nos ajudado e muito ontem á noite - Disse Louis como se o advertisse.
- Eu não controlo isso, as vezes dá certo, as vezes não dá. Tenho medo de fazer besteira.
- Você já fez, e das grandes. Achou que poderia matar Lúcifer sozinho?
- É achei sim, e além do mais o sangue dele em mim já é um incentivo.
- O sangue não é dele.
- O sangue está em mim e não em você.
- Na verdade está, eu também fui marcado.
- Tá falando sério? - E este assentiu.
- Mas não foi ele, eu pude ver. Ele me mostrou, num sonho - Niall se remexeu novamente. Louis já estava cansado de esperar que o mesmo acordasse.
- E o que viu?
- Quem me marcou. Não foi ele, era um outro homem, tinha olhos verdes e cabelo castanho claro. Certamente não era ele.
- Mas talvez seja ele no meu caso.
- Não, Zayn não é do tipo que suja os sapatos por algo que pode mandar o fazer.
- Então pode ser que o mesmo que me marcou marcou você também?
- Talvez sim, talvez não. O problema é que você libertou Lúcifer e agora ele anda livre por ai.
- Você o que? - Disse Niall se sentando na cama e acordando de supetão.
     Logo Liam e Niall começaram a gritar e discutir entre si como se Louis já não estivesse mais ali e o mesmo então decidiu que essa era sua deixa para sair dali. Tomou em mãos a chave de carro que seu avô lhe dera e saiu até o estacionamento, olhou em volta mas havia muitos carro ali. Acionou o alarme esperando que o som lhe guiasse até o carro e logo ouviu o som vindo de um Sedan Tesla Modelo S Preto. Louis abriu a boca em um pequeno ''o'' e mesmo não estando realmente feliz deixou que um sorriso se formasse em seus lábios.


    A noite já caía em Paris, as ruas estavam desertas e poucas pessoas passavam pela mesma, apenas algumas lojas se encontravam abertas, naquela noite por algum motivo a chuva resolveu assolar a cidade, os raios e trovões cortavam o céu enquanto os grossos pingos da chuva beijavam o rosto de Zayn, o mesmo suspirou profundamente e pôs se a andar novamente, a jaqueta de couro negro estava completamente encharcada assim como o resto de suas roupas e seus cabelos negros, sua pele estava gélida e ele ainda mancava um pouco por conta da facada que Harry havia lhe dado, murmurando um "droga" ele apoiou as costas na parede de um beco, levou uma das mãos até o rasgo em sua calça, onde Harry havia o acertado, colocou as mãos sobre o machucado e sentindo uma forte dor, o machucado havia se curado por completo e logo ele estava bem novamente, ajeitou a jaqueta em seu corpo e voltou a andar até chegar em um posto de gasolina pouco movimentado, e se escondendo  nas sombras no fundo do posto de gasolina ele avistou o carro se aproximar, como previsto Marcus havia pedido reforços, pobre e tolo Marcus, ele não entende que todos seus esforços serão em vão quando ele por fim arrancar a âncora de Louis, ele é Lúcifer, sempre tem o que quer e consegue sem o mínimo esforço possível, não é agora que deixará meros adolescentes o vencerem. Olhava tudo atentamente, e terminando de abastecer o carro, adentrou no mesmo e voltou a estrada, Zayn saiu das sombras e sorriu maldoso.
- Que a diversão comece.

Continua...

Podem atirar pedras em mim eu deixo... Mil desculpas pela demora gente, devia ter postado isso antes, junto a Perfect Incosequence, maaas a preguiça num deixou e to em castigando por isso, desculpa mesmo, amanhã msm eu posto a continuação de Perfect Incosequence, até postaria hoje mas quero colocar gifs pra vocês ^^ bem é isso, digam o que acharam desse capítulo, me xinguem se quiser eu deixo, mas não deixem de comentar e dizer o que acharam. Me desculpem pelo tamanho do capítulo :P - Sara xoxo

Black Heart - Capitulo 08

4 comentários:

A Festa ( parte 2 )
Ops... tem um morto alí.
" Você tem que me pagar, Jhon !  Seu prazo acabou. Não me obrigue a matar a sua família.
- Não ! Por favor, não os machuque. Me mate, mas não toque neles.
 O homem de olhos escuros riu.
- Jhon, Jhon, Jhon... por que eu o mataria ? Somos amigos, e além disso, eu adoro ver as pessoas sofrerem. 
- Andrew, eu prometo que vou pagar você. Eu só preciso de mais tempo.
 Andrew franzi o nariz.
- Por que tenho a impressão de que já ouvi isso ? Ah, por que eu foi isso que você me disse na ultima vez - ele gritou - que tal se eu arrancar a pele do seu filhinho ?! Sera que assim eu vou ter o meu dinheiro ? 
- Não. - Jhon tentou manter a voz firme. Fechando as mãos que tremiam em punhos - Eu vou conseguir seu dinheiro dessa vez. 
   Andrew o olhou de cima a baixo. Respirou fundo e fez um sinal com as mãos para os dois grandalhões que estavam parados a porta, observando tudo.
- Peguem-no.
  Interessante como uma palavra pode mudar a vida de uma pessoa. Principalmente se essa em questão tiver 7 anos. Jhon sentiu um frio correndo pela sua espinha, por um momento achou que eles iriam pegar o seu filho mas esses logo vinham em sua direção. 
   O primeiro soco veio da direita. O segundo da esquerda. Um no estomago e depois chutes, e depois nada mas importava. Não importavam a onde iriam bater, afinal ele merecia aquilo. Jhon aceitou a dor com se fosse uma velha amiga. Só rezou para que o pequeno Zayn não acordasse no andar de cima e fosse procura-lo. 
- 3 mês Jhon ou então o garoto morre. "

Seunome.O.P.V's 
  Nunca gostei de festas de escola, para falar a verdade eu nunca realmente estive em uma escola. 
 Sempre considerei essas pessoas estupidas e sem graça, até que eu virei uma dessas pessoas estupidas e sem graças. Graças a minha querida e adorada mãe é claro, me pergunto por que ela sempre tem que fuder com a minha vida.
  Deixo meu casaco no cabide de entrada da casa e desço as escadas para o grande salão aonde a festa está acontecendo. Sim, eles me olham, mas como evitar ? Eu estou linda. 
 Inconsequentemente procuro pelo idiota de olhos escuros e o vejo encostado no bar, seus olhos olham cada parte do meu corpo, desde o meu decote ao meus saltos pretos altos.Sorriu internamente, é tão bom chamar a atenção.
   Desço as escadas e Cassie logo aparece trazendo dois copos. 
- Você está incrível - ela diz me entregando os copos com um sorriso - Quantos está pensando em pegar hoje a noite ?
- Não sei, ainda não vi ninguém interessante.
 Ela solta uma gargalhada.
- Então vem aqui que eu vou te mostrar varias pessoas interessante.- Ela sorrir travessa e eu devolvo o sorriso.
 Logo chegamos a uma mesa redonda aonde Amanda, Carol e quatro caras lindos estavam sentados. Cassie pede mais um rodada, me sento ao lado de um cara de olhos azuis brilhosos e cabelos ruivos.
 Depois do que parece seculos de conversa fiada e rodadas de um bebida azul com gosto de tuti fruit, ele me convida para dançar.
 [...]
 Zayn.O.P.V's
- Fecha a boca se não você vai acabar babando, Zayn. - eu tomo um susto quando Louis aparece de sei lá onde.
- Você pode parar de fazer isso?
-Fazer o que ? - ele sorrir diabolicamente e levanta as sobrancelhas. Reviro os olhos - Ah, vamos, não seja tão sem graça, Zayn. Eu só estava brincando, e para falar a verdade o amiguinho daqui de baixo também deu um pulo quando viu ela chegando.
 Isso só me irrita ainda mais. Me imagino virando e dando um soco em Louis. Mas respiro fundo, e reviro os olhos outra vez.
- Isso é nojento. Eu não preciso saber quando você tem um ereção, Louis.
 Ele bufa.
- Pelo amor de Deus ! Você ta tão mal humorado que da pena. O que foi que aconteceu agora ? Ela te rejeitou outra vez ? 
 Reviro os olhos. Isso é o que ? a 3 vez que faço isso ? Sinto vontade de abrir a boca e falar tudo o que aconteceu nos ultimas 3 horas, sobre Andrew, sobre o nosso encontro, e sobre o fato de eu esta ficando sem tempo. Mas não, eu não posso.
- Não, ela não me rejeitou outra vez - ele rir e eu o acompanho por que isso soa engraçado - É estranho dizer isso em voz alta, quer dizer, eu nunca tinha sindo rejeitado.
- Sempre tem uma primeira vez para tudo - ele rir mais uma vez e se vira para o cara do bar, pedindo mais dois do que ele estava tomando. - Como é a sensação ?
  Sinto o tom de gozo (e.e)na sua voz mas ignoro.
- É estranho. Agora que ela me rejeitou, eu a quero ainda mais.
- Cuidado para não se apaixonar, cara.
 Solto um suspiro de deboche. Eu ? me apaixonar ? Isso só pode ser piada.
- Amor não existe. Amor é um coisa burra e idiota e tão fantasioso quanto narnia.
 Ele me entrega o copo e diz com a voz muito seria.
- Você fala assim agora, mas quando você sentir vai ser diferente.
- Ah, por favor. Vai me dizer que você esta apaixonado ?
- Eu não disse isso - ele engasgou-se com a bebida e corou. Virei para olha-lo completamente. Louis era igual a cores neon, nunca conseguia não chamar a atenção, Louis nunca conseguia disfarçar.
- Mas você só poderia saber disso se já estivesse se apaixonado.
- Nada a ver - ele bufou nervoso.
- Tudo a ver - rebati 
- Quer saber, deixa isso para lá, é tudo uma grande baboseira, estamos começando a agir com duas garotas solteironas.
- Quer saber, agora é que eu quero falar sobre isso. 
   Vi o rosto dele ficar vermelho, eu segurei o riso. Era engraçado vê-lo irritando em geral era eu que estava sempre irritado. Agora eu sei por que ele ama irritar os outros, isso é realmente divertido.
- Quer saber, eu não vou perder meu tempo com alguém que esta obcecado por uma garota super gostosa e esta perdendo a oportunidade de embebedar e leva-la para cama - ele explodiu - Passar bem, Zayn. 
E saiu. Eu soltei uma gargalhada e tomei um pequeno gole da minha bebida. Ele estava escondendo alguma coisa, alguma coisa que eu fico feliz em dizer que vou descobrir. Isso me fez me sentir bem, ter um desafio e tals, quase me fez me esquecer completamente de Andrew. 
Quase.
[...]
Seunome.O.P.V's 
   Cassie sumiu de vista com Jorde, o cara gostoso que ela estava secando. Carlos, o meu ruivo dos olhos azuis, tinha uma pegada de tirar o folego. Como eu adoraria ter essa boquinha passando por todo o meu corpo. Dançamos, nos pegamos e eu já estava quase o levando para o banheiro mais próximo, o calor era quase insuportável. Até que para uma " festa de escola " não estava tão ruim assim.
  Sai da pista de dança para ir ao bar pedir mais dois daquelas bebidas azuis com gosto de tuti fruti que esta deixando todo mundo louco. Até eu - que não sou franca para bebida já estava um pouco tonta - mas acho que não eram as bebidas que estavam deixando o povo louco, se é que você me entende. 
  Me sentei em um dos banquinhos  e fiz sinal para o garçom, não me sentia tão animada a um bom tempo. Me balancei no ritmo da musica enquanto pegava um dos meus cigarros na bolsa. Traguei e soltei a fumaça lentamente, observando em quanto ela fazia movimento no ar, eu soltei um risada. Okay, provavelmente eu estou bem bêbada e drogada. 
   Mas, uma coisa curiosa na minha vida : tudo que é bom dura pouco. Eu estava animada, exitada, drogada, bêbada e bem. Até feliz. Mas aí, ele apareceu. Sussurrando no meu ouvindo um coisa que fez meu corpo inteiro gelar com se eu tivesse acabado de entrar em um piscina de água fria. Meu coração bateu dolorosamente e meu estomago se contraiu. A voz disse : 
- Eu sei sobre o Jordan.
   Pressionei com força o resto do cigarro no balcão, e respirei fundo antes de me virei. Um cara alto, negro, com olhos muito escuros me fuzilava com os olhos, ele sorria diabolicamente.
- Me desculpe, mas eu não sei de quem você está falando - Menti. Podia sentir todo o álcool que eu ingeri fazendo efeito e mantive um sorriso agradável no rosto, tentando ignorar a confusão que se formava dentro de mim.
- Ah, princesa - acreditem no nojo que eu senti ao ouvir isso - Você sabe exatamente do que eu estou falando. Ou sera que você já se esqueceu ?
- Acho que você esta me confundindo com outra pessoa. - acho que essa foi a pior resposta que já dei em toda a minha vida. Me bati mentalmente. Ele sorriu e se sentou no banco ao lado do meu que infelizmente estava vazio.
- O lance é o seguindo. Jordan me usou, assim com ao meu chefe e metade das mafias  do Reino Unido, eu quero o que me foi prometido.
- Assim com você acabou de ressaltar - estalei a língua - Jordan deve dinheiro a você e não eu. Você deveria saber que ele estava mentindo quando disse que te recompensaria, ele não era o melhor mentiroso de todos ?
- Perdendo apenas para o pai - ele sorriu. Se ele não estivesse tentando tirar dinheiro de mim, a conversa ate seria agradável, velhos amigos falando de crimes e criminosos com o qual transávamos. Bons tempos. - Foi burrice minha, é verdade. Mas mesmo assim, eu quero minha grana.
- Sinto muito pela sua perda. Mas eu não me envolvia nos assuntos comerciais de Jordan portanto eu não vou lhe dar nada.
- Se é assim que você quer. Mas podemos fazer um acordo. - levantei as sobrancelhas, a irritação já estava me corroendo como acido, só queria que esse idiota sumisse e me deixasse em paz. Sim, falar sobre o meu ex namorado traficante me irrita ! Mas todos nos temos um assunto que nos irritamos, não ? - Ou você me dar o dinheiro, ou todos, todos vão saber daquilo que sua mãe suou para esconder.
- Verdade ? - perguntei irônica mas sentia um nova corrente de gelo percorrer meu estomago - É quem acreditaria em um criminoso como você ?
- Acreditariam se eu mostrar as provas. Acha mesmo que eu viria despreparado ? 
 Nos encaramos por um longo tempo. Se existia provas, eu não fazia ideia. mas se tem uma coisa que eu aprendi foi nunca desconfiar de um filho da puta com esse, principalmente se ele tem provas contra você. Suspirei, na mesma hora que o barmen colocava as duas bebidas na minha frente. Bebi a minha de um só vez, ainda encarando aqueles olhos escuros. Parece que o meu sexo com o garoto ruivo teria que esperar.
- Tudo bem. Eu lhe dou o dinheiro. Afinal dinheiro para mim nunca foi o problema. Aonde eu devo entregar, deixar, depositar ... ?
- Amanhã. Me encontre no centro da cidade, preto da fonte da praça comercial. Não preciso lembra-la de ir sozinha, preciso ?
 - Claro que não - sorri falsamente.
- Foi ótimo fazer negocio com você. - ele deu mais um daqueles nojentos sorrisos e saiu. Sim, foi um ótimo negocio, seria uma pena se ele não nunca chegasse a ver a cor do meu dinheiro.
[...]
   Me enfiei no meio da pista de dança e sai procurando por Niall. Subi para os andares dos quartos e abri todas as portas, interrompendo momentos bem " íntimos " mas foda-se. Eu precisava daquele loiro idiota, aonde foi que ele se meteu ? 
 Procurei nos banheiros, e nos corredores e nada. Sai então para o estacionamento. O vento frio bateu no meu rosto tão de repente que me fez estremecer, não tinha reparado que lá dentro estava tão abafado. Não precisei andar muito para acha-lo quase engolido um loira encostado em um carro azul marinho. Revirei os olhos e apressei o passo até lá. A essa hora eu devia está tendo um belo orgasmo com um ruivo irlandês e não aqui, no frio tendo que resolver coisas que pareciam que nunca iam me deixar em paz. Você tenta seguir em frente, mas o passado insiste em voltar a bater na sua porta. 
- Niall - o cutuquei um força. Ele gemeu alto ainda com a boca colada com a da garota e me ignorou - Niall caramba, eu preciso falar com você.
- Não ta vendo que eu to ocupado, porra ? - ele resmungou se virando para me olhar.
- Acredite, esse é o ultimo lugar que eu queria estar. 
    Niall me olhou de cima a baixo. Não sei se era por que ele me conhecia bem, ou por que eu estava tão irritada que isso transparecia no ar, mas ele dispensou a loira com um aceno de mão, que ajeitou o vestido rosa colado e saiu resmungando. 
- O que foi que aconteceu agora ? - ele resmungou com a testa franzida. Ah, é. Ele também parecia sentir sempre que eu me metia em problemas.
- Eu preciso que você apague alguém para mim.
- Por que você mesma não o apaga ? - retrucou irritado. Bufei.
- Olha, sei que você queria transar, ta bom ? Mas a coisa aqui é bem mais importante do que aonde o seu pau vai se enfiar hoje ! Eu preciso que você mate esse cara, para ontem.
 Ele revirou os olhos.
- Você transa com um bandido e eu que tenho que eliminar os inimigos dele ?
- Não me faça implorar.
 Ele resmungou alguma coisa, abriu o casaco e tirou de lá um maço de cigarro. Eu observei ele acender e dar os primeiros tragos, ele tirou o cigarro da boca e sobrou a fumaça.
- Ta, eu faço. Quem é o cara ?
- Não sei o nome dele. Mas ele está lá dentro, é alto e negro, provavelmente o cara mais velho que você vai encontra nessa festa. 
- E se ele já tiver ido embora ?
- Ai você vai ter que se virar - disse irritada, parecia que eu não ia me aquietar ate esse desgraçado esta morto a 7 palmos em baixo da terra. Me virei para ir embora mas Niall voltou a me chamar.
- Não ganho nenhuma recompensa ? - Ele abriu os braços e deu um sorriso safado com o cigarro ainda preso nos lábios. Ele estava bem mais sexy e gostoso do que a 2 anos atrás. Revirei os olhos mas não pude deixar de sorrir.
- Achei que você tinha que matar alguém.
- Eu sempre tenho tempo para dar uns amassos. 
    Ele puxou minha cintura e me beijou. Agarrei o seu cabelo com força e o puxei mais para mim, sentido o gosto de álcool e nicotina que vinham diretamente da sua língua. Podiam passar anos, mas só Niall conseguia descongelar o frio do meu estomago e acender um fogo que as vezes eu esquecia que tinha. Suas mãos apertaram minha cintura e desceram ate minha bunda, gemi contra sua boca enquanto ele aproveitava isso para aprofundar ainda mais o beijo - se é que isso é possível.
- Como nos velhos tempos, não ? - ele disse ofegante com as sobrancelhas levantadas.
Lhe deu mais um beijo rápido antes de responder :
- Como nos velhos e bons tempos.
[...]
Depois disso eu não tinha mais clima nenhum para festa. " Roubei " uma garrafa de vodca e fui caminhar pela praia. Odeio praia; odeio a areia, a água salgada, o cheiro de água salgada, a unica coisa bom é o barulho das ondas, mas hoje ate que não estava tão ruim andar pela praia. Joguei meus saltos em algum lugar que eu não faço ideia de onde foi, peguei outro cigarro e lá foi eu. 
  Bêbada. Drogada. Com raiva. Deprimida. E com vontade de matar qualquer. Talvez eu devesse ter matado aquele cara. 
   Abano a cabeça bebendo mais um gole. Lembro de quando ia a grande mansão de Jordan, todos aqueles caras armados, as drogas, as prostitutas... aquilo não me assustava, acho que me fazia ficar mais louca por ele. Era diferente e perigoso, o tipo de coisa que toda menina de 14 anos sonha em ter.   Ele era aquele tipo de cara que usava jaqueta de couro preta, e botas, o tipico badboy dos filmes, lembro que ele não vivia sem a jaqueta. Ele era o tipo de cara que era arrogante, ignorante e babaca na frente dos outros, mas um doce e romântico quando vocês estavam a sós. 
  A pergunta que não quer calar é : Como diabos você se apaixonou por um traficante ? É uma boa pergunta, a mesma que minha mãe fez um milhão de vezes, a mesma que ele me fez um milhão de vezes, a mesma que eu me fiz milhões de vezes, e até essa etapa inútil da minha vida eu ainda não sei a resposta. Um brinde a mim. Tomo mais um gole. 
   Meu celular vibra na bolsa, olho as horas antes de abrir a mensagem. São 3 da manhã. Suspiro com um peso no coração e abro a mensagem de Niall.
" É sempre uma maravilha acabar com os seus problemas. Pode relaxar, ele já era ".
Ah.
Suspiro.
Como Niall acabou virando meu matador profissional ? Essa é um historia realmente engraçada que eu não to com a minima vontade de relembrar; Me encosto em um pedra, fecho os olhos e suspiro. Minha vida é um bagunça, eu sou um bagunça e não importa quantas vezes eu tente limpar , a sujeira sempre aparece outra vez. Eu já vi, fiz e senti as piores coisas do mundo mas também já vi, senti e vi as coisas mais bonitas. Suspiro um sorriso do meu pensamento patético. Deixo que o barulho das ondas acalmem minha mente. Mas o silencio não dura muito.
- O que você tá fazendo aí ? - olho para o lado e lá esta o menino de olhos escuros e cabelos negros. Ele me olha de uma forma estranhamente irritante como se suspeitasse que eu estou aprontando alguma coisa. Bufo quase inconscientemente.
- Desde quando isso virou da sua conta ? - vejo a postura dele falha e isso me anima.
- Você poderia um vez na vida da uma resposta amigável ?
- Você poderia me deixar em paz ?
- Não.
- Então não.
  Me sinto estupida por ta discutindo com ele em uma praia, descalça, com os cabelos bagunçados e o vestido amaçado. Por que em comparação a mim, ele esta impecável, é isso é muito irritante. 
- No que você esta pensando ? - Eu jogo um olhar mortal para ele. Serio isso ? - Okay, desculpa, só estava querendo puxar assunto.
- Boa tentativa mas eu já estava de saída. - Me desencosto da pedra e quase caiu no chão, andando cambaleando na sua direção, mas quando vou passar ele me segura.
- Você está bêbada. Deixa que eu levo você.
   Isso me irrita, profundamente. Quem ele pensa que é ?
- Qual é o seu problema ? virou minha babá ? 
- Só estou tentando evitar um acidente.
- Sei. Mas não se preocupe mamãe, eu estou bem - puxo o meu braço com força e perco o equilíbrio. 
  O que acontece a seguir é muito rápido ( bem rápido por o zayn é o flash e.e). Em um segundo eu estava caindo, no outro ele estava me segurando e no outro, sem saber como nem por que, ele estava me beijando. 

  Mas o mais surpreendente de tudo era que eu estava correspondendo.
-------------------------------------------------------
 Ooooiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiie ! 
Lembram de mim ? Não ? Okay.
Sim, eu sumi.Mas tenho um motivo.
Meu computador deu a louca, se revoltou comigo e parou de funcionar, então eu tive que restaurar e perdi TUDO :( foto, aplicativo, vídeo, musica e os capítulos já escritos. Pois é. Senti falta de vocês povin <3 vou tentar não sumir outra vez ^.^ espero que gostem desse capitulo feito as pressas, cometem, beijos.


Imagine - New Romantics

2 comentários:


Sinopse - "Gostaria de deixar claro que nada que eu escrevi aqui até agora condiz com a realidade. Eu percebi isso quando à alguns meses atrás, quase um ano, escrevi que odiava com todas as minhas forças esse irlandês - que em tempos eu chamava de alemão - maldito que morava em frente ao meu apartamento. Gostaria também de dizer que os opostos se atraem também, não que eu não seja parecida com Niall, mas eu nunca imaginei que esse desgraçado mudaria tanto a minha vida. Ele sempre foi de dar festas, levar garotas todos os dias para seu apartamento, não me deixar dormir pelo simples fato de tranzar até com a tia da limpeza do prédio. Eu nunca pensei que se não fosse a minha irresponsabilidade, eu não estaria com ele agora. E aqui estou eu, escrevendo na ultima pagina desse diário que me acompanhou desde o começo do ano. Eu finalmente consegui completá-lo. Aqui estou eu, na frente do espelho, me encarando com esse vestido branco e detalhado, que mostrava até então que eu estava noiva. Que me mostrava que Niall Horan podia mudar minha vida, e era isso que ele estava fazendo".





Gênero: 
Comédia
Autora: Livia Ribeiro
Categoria: One Direction
Classificação: +18
Avisos: Avisando que, quem não gosta muito de palavrões e coisas do tipo, esse imagine vai ter bastante disso, então caso não gostem, não leiam. 
Créditos: Créditos à mim pela capa, por favor, não copiem. 
Notas: Eu acabei com Overturn, meu imagine antigo, por falta de criatividade, eu simplesmente não conseguia escrever, então resolvi tirar uma das minhas ideias para postar aqui. Peço desculpas a todas que gostavam de Overturn, mas é o fim :(
Não vou apresentar os personagens pois o imagine se concentra apenas nos dois principais, então não tem motivo para colocar os personagens mais "irrelevantes" na história. A garota que vai "interpretar" a principal é a Holland Roden, enta o caso queiram pesquisar sobre ela já sabem o nome ><
E por ultimo, mas não menos importante, eu vou tentar postar todos os sábados, mas se nao conseguir, posto dois capitulos na semana, nao sei se entenderam, mas vao entender na prática, hahahaha >< Não esqueçam de me cobrar bem aqui nesse post quando eu demorar pra postar, okay?
Xx Liv




Capítulo Um - Em Breve

Frenemy - Capítulo quatorze / 1ª Temporada

3 comentários:

Capítulo quatorze - Pesadelos e Premonições

É okay não estar okay 

Antes

- Cala a boca. Oque acha?
- As garras, a velocidade, pode ser um mutante, talvez um cão preto. Seja o que for trata-se de uma criatura, e é corpórea, quer dizer que podemos matá-la. 


- Consegui te convencer a não ir naquela missão suicida?
- Eu ainda vou, aquelas pessoas precisam de mim.


- Você não é tão forte agora, não é Arcanjo?

Agora

Louis Pov.

   Peguei me sorrindo ao me deitar. Meu lençóis e travesseiros tinham o cheiro de Harry - suspirei lembrando-me do mesmo - eu havia ajudado mais pessoas, e estava me tornando um caçador cada vez melhor. Pela primeira vez em dias, ou anos - não me lembrava mais - me sentia bem. A única coisa que ainda me incomodava era o fato de eu sentir falta da amizade de Niall. Mas ele mereceu, não é? Ele havia me prometido, foi uma promessa. Mas talvez esse seja o meu problema, que dizer, eu confiei cegamente em uma pessoa que havia acabado de conhecer. Claro que considerava Niall um amigo, mas ainda sim foi uma confiança muito cega.
Sempre pensei que anjos e arcanjos fossem criaturas de compaixão - e na verdade essa é a imagem que todos têm de anjos - mas Niall se mostrava um ser muito diferente disso. É claro que Niall naturalmente não confiava em Harry pelo mesmo ser um demônio, mas ele podia ao menos tê-lo poupado por mim. 
  Já cansado de pensar sobre isso afastei esses pensamentos, me sentia feliz demais para me colocar pra baixo. Fechei os olhos me virando ao lado contrário e logo já havia entrado em sono profundo.

   Estava tudo negro, tudo era breu e era impossível sabe onde ele estava - mas não era literalmente um lugar - e então eu vi Niall. Ele estava muito machucado e tinha alguns hematomas no rosto, seu lábio inferior sangrava, seu olho direito estava roxo e havia um grande corte em sua bochecha.
- Louis... - Ele disse baixo - Ele me pegou...
  Tentei lhe perguntar o que estava acontecendo e quem havia o pegado mas minha voz simplesmente não saía.
- Por favor, me ajude... - E antes que eu pudesse tentar lhe responder algo a pessoa - que agora eu sabia se chamar Zayn - o puxou pela nuca, ele tinha seu sorriso maldoso, os olhos amarelos, e uma tatuagem preta e amarela de ''Zap!'' tentei impedir que ele pegasse Niall mas nada funcionava, era como se eu não estivesse ali.

  E então eu acordei, me sentei rápido na cama ofegante, a palma de minhas mãos suavam, eu suava frio, levou um tempo até que minha respiração tornasse ao seu ritmo normal e foi quando eu me senti pronto para levantar. Me levantei me arrastando pelo quarto até o quarto de Liam, bati na porta algumas vezes mas comecei a me sentir fraco de novo.
- Liam...? - Disse tentando apressá-lo.
  Me senti cada vez mais fraco, tentei me manter em pé mas minha cabeça doía muito, flashs estranhos que eu não me lembrava ter nunca visto antes passavam pela minha cabeça. Coloquei a mão em minha testa sentindo dor, vi as placas de uma rua que eu não conhecia, um prédio abandonado que eu nunca tinha visto, e então eu vi Niall. Suas mãos estavam amarradas no braço de uma cadeira e seus pés nas pernas da cadeira, havia uma mordaça em sua boca. Zayn estava atrás da cadeira, debruçado para frente onde apertava contra a garganta de Niall sua própria espada angelical. 

- Você não é tão ameaçador agora, não é Maninho? - E dando uma pausa para apertar ainda mais a espada a garganta de Niall - Sempre tão falante.... O que foi Maninho? O gato comeu sua língua? Ah é mesmo, como sou bobo - riu de si mesmo - Como você vai poder falar nessas condições? - E retirando a espada da garganta de Niall, caminhou até ficar cara a cara com o mesmo - Niall, você é meu irmão e eu te amo, sabe que eu não queria estar fazendo isso, mas você andou sendo um meninho muito mal, se metendo no meu caminho, nada legal - E fez um biquinho - Sabe, a vida que tínhamos era ótima, éramos uma família feliz - Olhou para Niall como se esperasse que ele dissesse algo - Papai tinha tudo que pudesse querer, éramos ótimos filhos mais parece que não era o suficiente para ele - Falava enquanto observava a espada angelical de Niall com um sorriso no rosto, a guardou e tornou a pegar uma faca qualquer, brincando com ela - Papai tem uma grande adoração por esse desprezíveis, faria qualquer coisa por eles, até mesmo sacrificar seu tão amado filho, o caçulinha amado, então eu te pergunto Maninho, qual o interesse que Papai tem em Louis? Por que você precisa tanto protegê-lo? - Perguntou e retirou a mordaça de Niall, o mesmo o apenas olhou nos olhos e nada disse, Zayn bufou irritado - Eu não teria ter de fazer isso - E falando essas palavras fincou a faca na coxa de Niall que soltou um urro de dor, fechou os olhos com força e quando tornou a abri-los uma lágrima rolou por sua bochecha, Zayn limpou sua lágrima com o polegar, olhou nos olhos azuis do irmão - E agora? Vai falar ou não? 
- Vá para o inferno.

   E finalmente os flash cessaram, minha cabeça ainda doía, mas bem mais fraco, e eu lentamente me levantei.
- Louis? - Liam disse abrindo a porta. - O que que aconteceu?
- Grands Champs, temos que ir pra lá.
- Cara, são 02:34 da manhã.
- Precisamos ir!
- Sim, mas o que tem lá?
- Niall. Ele está em perigo.
- Como sabe que ele não está em seu apartamento?
- Acredite em mim, precisamos ir. Agora!

Narrador On.

- Você não é tão ameaçador agora, não é Maninho? - E dando uma pausa para apertar ainda mais a espada a garganta de Niall - Sempre tão falante.... O que foi Maninho? O gato comeu sua língua? Ah é mesmo, como sou bobo - riu de si mesmo.


- Como você vai poder falar nessas condições? - E retirando a espada da garganta de Niall, caminhou até ficar cara a cara com o mesmo - Niall, você é meu irmão e eu te amo, sabe que eu não queria estar fazendo isso, mas você andou sendo um meninho muito mal, se metendo no meu caminho, nada legal - E fez um biquinho - Sabe, a vida que tínhamos era ótima, éramos uma família feliz - Olhou para Niall como se esperasse que ele dissesse algo - Papai tinha tudo que pudesse querer, éramos ótimos filhos mais parece que não era o suficiente para ele - Falava meio pensativo como se recordasse de algo.


  Observava a espada angelical de Niall com um sorriso no rosto, a guardou e tornou a pegar uma faca qualquer, brincando com ela.
 - Papai tem uma grande adoração por esse desprezíveis, faria qualquer coisa por eles, até mesmo sacrificar seu tão amado filho, o caçulinha amado, então eu te pergunto Maninho, qual o interesse que Papai tem em Louis? Por que você precisa tanto protegê-lo? - Perguntou e retirou a mordaça de Niall, o mesmo o apenas olhou nos olhos e nada disse, Zayn bufou irritado - Eu não teria ter de fazer isso - E falando essas palavras fincou a faca na coxa de Niall que soltou um urro de dor, fechou os olhos com força e quando tornou a abri-los uma lágrima rolou por sua bochecha, Zayn limpou sua lágrima com o polegar, olhou nos olhos azuis do irmão - E agora? Vai falar ou não? 
- Vá para o Inferno.
- Hunf, o que sabe sobre lá irmãozinho?
- O suficiente para saber que um castigo perfeito para você.


- Tô vendo que não sabe nada. O Inferno é como... Bom é um Inferno - Sorriu - Até mesmo para os demônios, é uma prisão feita de carne e ossos, sangue e medo.
- Você fez por merecer o lugar onde está - Continuou ainda de cabeça baixa, Zayn sorriu e se aproximou mais dele, e brincou com a pequena poça de sangue que se formara ao lado da cadeira aonde Niall estava amarrado. 
- Engraçado você dizer isso, sendo que, você é um anjo caído assim como eu. Somos mais parecidos do que você pensa - Niall riu anasalado e ergueu a cabeça, o rosto completo por hematomas, os olhos vermelhos, e o corte em sua bochecha ainda sangrava muito, e olhando nos olhos de Zayn ele disse.
- É nisso que você acredita Luci? Que somos parecidos? Pois lamento lhe informar que os boatos no qual você ouviu são falsos. Eu fui enviado.


- Enviado é? Estão com problemas no paraíso? Pensei que o todo poderoso desse conta de tudo.
- Cale a droga da boca! - Gritou irritado.
- O que foi maninho? Não gosta que eu ofenda o Papai? - Perguntou e começou a andar por em volta de Niall novamente - Papai é um fraco! Que faz com que vocês se curvem perante seres inferiores.
- Você tem inveja deles irmão - Um sorriso brotou nos lábios de Niall, ele sabia o quão Zayn odiava isso, Niall o observava como se gostasse de vê-lo irritado de tal forma.


 - Parece que teremos de fazer do modo mais difícil - E dito isso Harry apareceu num piscar de olhos, o típico sorriso no canto dos lábios, trajando como sempre suas roupas pretas, e seu indispensável cachecol vermelho - Vou deixá-los a sós, para conversarem melhor.


 E soltando uma gargalhada alta saiu do cômodo em que eles estavam, Niall levou seu olhar a Harry que o olhava com um olhar de maluco, e isso o assustou um pouco.
- Hora de acertarmos as contas anjinho - E fechando as mãos em punho ele o atingiu no rosto, fazendo com que ele o virasse para a direção contrária por conta do impacto.
- Não sabia que recebia ordens dele Harry, mas é claro, ele é Lúcifer, seu mestre por extinto natural, nada mais apropriado do que você lhe servir de capacho.
- Eu não recebo ordens de ninguém, seu merda! - E lhe acertou um soco no queixo e novamente Niall virou o rosto por conta do impacto. E erguendo novamente o rosto ele olhou nos olhos negros de Harry e continuou com as provocações.
- Isso lhe diverte não é? Como se sentiria se Louis descobrisse quem você realmente é? - Harry se debruçou ficando cara a cara com Niall.
- Ele nunca vai saber, sabe por que? Por que você não estará vivo para contar a história - E lhe dando uma cabeçada se distanciou novamente do mesmo.
- É só uma questão de tempo para que eles me encontrem Harry.
- Cale a boca, você só passa de um Arcanjo fraco e inferior que se acha melhor que os outros - E mais um soco - Desprezível. É isso oque você é, uma merda de um arcanjo despre.... - Não pode terminar pois é interrompido por Niall que cospe o sangue que estava em sua boca no rosto de Harry, Harry o olha com ódio e limpa o sangue com a manga da camisa social preta, e lhe dá mais um soco - Ninguém virá Niall! Você não percebe? Todos aqui te odeiam, ninguém se importa com você - Bastou Harry dizer essas últimas palavras para então ouvir um barulho estrondoso e logo em seguida a grande porta de ferro ser derrubada, e levando seu olhar para entrada pode ver Louis e Liam.


   Estes olhavam tudo aquilo sem entender, ou não queriam entender. Pelo menos por parte de Louis que mesmo com todas as diferenças entre eles nunca pensou que Harry pudesse fazer aquilo. Realmente, o problema de Louis era esperar mais de alguém que não se podia sequer confiar, colocar expectativas que nunca serão alcançadas. Ele alternava entre olhar para a mão ensanguentada de Harry e olhar para Niall. Liam olhou para Louis como se esperasse que ele fizesse algo.
- Harry? - E o mesmo deu de ombros - Por que você..? - Mas foi interrompido por um som de dor emitido de Liam que em segundos estava preso por Zayn que tinha a espada angelical em sua garganta.
- Uh! - Balbuciou num tom alegre e surpreso - Parece que temos visita Harry. Ah, mas eu esqueci de fazer o bolo, vocês me perdoarão, não é? - Disse assentindo e fazendo biquinho.
- Me largue seu... - Começou Liam mas ignorando-o Zayn apertou mais a espada contra sua garganta.
- E a verdade vem á tona - Disse rindo - Vamos lá Louis, ria. Eu sei que você entendeu - Liam ainda se debatia e Louis pensava em algo que pudesse fazer sem que alguém quisesse lhe matar.
- No máximo ele ficará desacordado por algumas horas - Liam tentou de algum modo conseguir sair e quando finalmente - por um milésimo de segundo - conseguiu se soltar virou-se e foi recebido por um soco na têmpora. Zayn sorriu simulando limpar as mãos ao ver Liam desacordado e jogado ao chão.
 - Ficou louco? Você poderia matá-lo - Gritou Harry.
   Levou dois dedos a boca num assovio alto e agudo fez com que dois homem altos e fortes aparecessem ali, eles usavam ternos pretos e tinham os olhos totalmente negros. Cada qual seguravam uma coleira com dois Cães do Inferno que latiam alto e suspensos nas patas dianteiras tentavam com toda força que tinham se livrar dali e atacar Louis.
- Fique dentro do circulo de sal! - Gritou Harry. E no mesmo segundo Louis já o fazia e agradecia por tê-lo trazido. Assim que ele e Liam estavam dentro do mesmo e os cães batiam no nada tentando adentrar ao circulo Louis recuou dois passos e acabou por cair sentado, ele ofegava muito. Agora os cães os rodeavam e rosnavam.
- Vamos lá Niall, você não quer ser corrompido pelo mal? Sentir a sensação de tirar uma vida? Saber que a vida que você tirou era inferior a você?
- Não - Ele negou convicto.
- Ah, vamos lá Niall. Sei que pode fazer isso - Disse e rolando os olhos até ele, Niall o olhou com ódio - Eu sempre achei que o modo difícil seria o mais divertido mesmo - Deu de ombros.
  Ainda no círculo de sal Louis começou a sentir dor, a mesma dor que sentira pouco antes, ainda em seu quarto. Levou as mãos á cabeça enquanto gemia de dor e se contorcia no chão.

- Agora, você vai pegar essa espada e vai mata-la, okay? - Zayn dizia como se fosse uma coisa natural a se fazer.
- Eu não vou matá-la! Ela é uma pessoa inocente - Gritou Niall, e revirando os olhos Harry lhe deu mais um soco. Zayn virou-se para Harry lhe lançou um olhar nada bom.
- Só eu bato no meu irmão aqui, okay? -Harry revirou os olhos e Zayn se voltou para Niall - Ah qual é Niall?! Ela não passa de uma vadia, uma vadia prostituta que com certeza é uma das pessoas que mais tem pecados nesse cômodo. 
- Eu vejo somente uma pessoa inocente, eu não a matarei Luci.
- Você escolhe irmãozinho, ou você a mata com sua belíssima espada angelical, ou serei obrigado a fazer uma coisa horrível
- Vá em frente, prefiro morrer a matar uma pessoa inocente - Zayn revirou os olhos.
- Como quiser - Caminhou até Niall e um movimento rápido o apunhalou com sua própria espada angelical, ele soltou um urro de dor e de seus olhos e boca saíram uma luz branca azulada cegante, a cadeira em que ele estava caiu para trás junto ao corpo já sem vida e em volta do corpo dele, uma enorme asa negra estava no chão, e milhares de penas negras voavam pelo local.

   E de repente a dor cessou. Louis abriu os olhos, se levantando devagar,
- Eu não vou matá-la! Ela é uma pessoa inocente - Gritou Niall, e revirando os olhos Harry lhe deu mais um soco. Zayn virou-se para Harry lhe lançando um olhar nada bom.
- Só eu bato no meu irmão aqui, okay? -Harry revirou os olhos e Zayn se voltou para Niall - Ah qual é Niall?! Ela não passa de uma vadia, uma vadia prostituta que com certeza é uma das pessoas que mais tem pecados nesse cômodo. 
- Eu vejo somente uma pessoa inocente, eu não a matarei Luci.
- Você escolhe irmãozinho, ou você a mata com sua belíssima espada angelical, ou serei obrigado a fazer uma coisa horrível
- Vá em frente, prefiro morrer a matar uma pessoa inocente - Zayn revirou os olhos.
- Como quiser - Sibilou e em um movimento rápido levou a espada até pouco atrás dos ombros, pronto para acerta-lo
- Não! - Ele gritou pela primeira vez dizendo algo desde que chegara ali e fazendo com que todos o observassem - Faça o que quiser mas não o machuque, por favor! - Juntou as mãos como numa prece.
- Está de acordo Maninho? - E olhou para Niall que nada disse - Bem, quem se importa? Isso vai ser muito divertido - E sorriu.
   Retirou rapidamente a faca de sua coxa espirrando sangue em sua mão e na perna de Niall que fechou os olhos. Zayn limpou o sangue da faca no sobre-tudo de Niall enquanto sorria para o mesmo.
- E então Niall, está pronto para deixar de ser um Arcanjo e se tornar um nada? Uh espere, você já é um nada - Disse analisando a faca brilhante e observando seu reflexo na mesma. Niall o lançou um olhar furioso.
   Zayn puxou os cabelos louros de Niall com força o fazendo erguer o pescoço fez um pequeno corte profundo no mesmo. Niall observou de soslaio sua Graça saindo em uma fumaça azulada até o pequeno frasco na mão de Zayn que fechou-o ao soltar seus cabelos, Niall automaticamente sentiu-se fraco e Zayn sorriu. Prendeu o frasco com o conteúdo em sua corrente usando-o como pingente num lembrete maldoso do que havia feito com seu próprio irmão.
- Desgraçado... - Disse baixando a cabeça quase sem forças. Zayn sorriu mais ainda e fez um aceno de cabeça para Harry.
- Hey você, solte-o - E Harry o fez pensando ainda se realmente estava obedecendo á ele, é, ele estava sim. Niall cambaleou tentando caminhar em linha reta até Zayn - Espere, você ainda não viu a melhor parte - Disse brincando com o pingente em sua corrente estalou os dedos sorrindo de lado.
   E então Niall sentiu suas asas mais leves, elas brilhavam cintilantes e estas estavam simplesmente reduzindo-se ao pó, pena por pena, - algumas voaram para longe e Zayn soprou uma que ficara em seu nariz. Niall abriu a boca em um pequeno ''o'', logo ele não conteve mais suas lágrimas e se ajoelhou no chão colocando a mão sob o pequeno montinho de pó negro que antes fora suas asas. Liam agora acordara e tinha a mão na testa enquanto abria os olhos, as pálpebras pesadas.
- O que estava havendo? - E se levantando viu Niall chorando e por impulso saiu do circulo, Louis o seguiu correndo e alguns segundos depois Liam já havia feito o circulo por em volta deles. Mas foi tarde para Louis que logo foi mordido na perna por um dos cães, havia marcas de dentes em seu tornozelo e sangue, os cães tornaram a se aproximar e fazendo um aceno com a mão Zayn os impediu e logo eles se aquietaram.
- Você devia ter tomado mais cuidado Louis. Eu preciso de você inteiro.
- O que você quer de mim?


- Não percebeu ainda? Você será um dos meus Louis - E se agachou a sua frente.
- Eu nunca serei um de vocês.
- Ah sim, pode apostar. Quem sabe até me substituir talvez - E este engoliu em seco - Mas pra que esperar se podemos o fazer agora mesmo? - Prensou Louis contra a parede pelo pescoço passando seu braço pelo mesmo e apertando-o tirou sua faca de - sabe-se de lá onde - e cortou seu próprio pulso. Soltou Louis deixando-o atingir o chão com  voracidade. Num movimento rápido o pulso gélido de Zayn tocou os lábios de Louis, ele contra sua vontade pôde sentir o gosto metálico do sangue de Zayn, automaticamente cuspiu-o em seu rosto que ele virou na direção contrária, é claro que ainda sim ele havia engolindo algumas gotas. Zayn limpou o rosto e Louis aproveitou os poucos segundos de distração para livrar-se do mesmo.
   Harry avistou a Espada Angelical de Niall no chão, porém assim que foi em direção a mesma Zayn o viu de soslaio e fez um aceno de para um dos Cães do Inferno e visto que estava solto correu até Harry pulando sob o mesmo, e quando este tentou atacá-lo Harry o decapitou com a Espada Angelical, sua cabeça rolou para longe e seu corpo caiu espalhando um liquido preto e viscoso sob Harry. Harry se levantou esperando que o outro Cão Infernal viesse até ele porém o mesmo recuou correndo, ele caminhou ofegante até Niall.
- Pare de chorar, e acho que isso pertence a você - Estendeu-a para o mesmo que pegou rápido sem responder.
   Louis caminhou até Niall visto que o mesmo ainda não se encontrava em seu melhor estado mas ao chegar perto do mesmo sentiu mãos em seu calcanhar e logo depois Zayn o puxar. Zayn prendeu as mãos de Louis acima de sua cabeça segurando-as e com a outra faria Louis beber o resto de seu sangue para acabar logo com aquilo mas foi impedido quando Liam o puxou pelo ombro e o jogou bruscamente ao lado de Louis, se aproximando mais Liam se agachou.
- No máximo ele ficará desacordado por algumas horas.


 Fez sua melhor imitação da voz de Zayn que com o soco de Liam desmaiou por completo.
  Harry estendeu sua mão como apoio para que Louis se levantasse mas este ignorando-a levantou-se por si só.

[...]

- Estamos quase chegando Niall, mantenha os olhos abertos, sim?


  Perguntou Louis avistando o hospital de longe. Mas antes que Niall pudesse responder oque restou de suas forças se esvaíram e ele apagou.

Continua...

<< Capítulo Anterior                                           Próximo Capítulo >>

  Nem tenho muito oq falar sobre esse capítulo, ah não ser que espero que tenham gostado, e obg as pessoas que aponham a fanfic ;) e as que sempre comentam, é por causa de vcs que continuamos escrevendo, comentem o que mais acharam desse capítulo. - Sara xoxo
Glossário: A Graça de um Anjo pode ser retirada cortando sua garganta colocando sua essência em algum tipo de recipiente. Sem a Graça os Anjos perdem seus poderes e asas ficando humanos. Apenas outro um Anjo pode matar outro sem retirar sua Graça. A Graça roubada é eficaz a longo prazo, trazendo de volta ao Anjo seus poderes Angelicais, porém ela o fere internalmente cada vez que o Anjo com a Graça roubada usa seus poderes, matando o receptáculo e o Anjo aos poucos, o Anjo pode curar-se tendo sua própria Graça de volta.