Madness Of Teens - Capítulo três / 1° temporada

5 comentários:

Capítulo três - "Boas vindas"

"São nossos segredos que nos mantem unidos"

Narrador On.

  Ela abriu seus olhos que logo arderam, ''maldito seja Niall, me fez esquece a janela aberta'', pensou enquanto piscava e piscava freneticamente os grandes cílios, as retinas queimando aos poucos se acostumaram com a claridade. O som irritante que o celular emitia ainda tocava, ela deveria ter colocado uma música como alarme, se bem que poderia começar a odiar a música. Enquanto resistia á tentação de desligar o alarme, virar para o lado contrário e dormir encerrou o alarme e se levantou caminhando até o banheiro. Fazendo um coque frouxo com algumas mechas de seu cabelo soltas ela se despiu e adentrou ao box, as grossas gotas mornas de água caindo em sua pele eram um alívio para seus ombros tensionados. Caminhou até novamente seu quarto enquanto se auto amaldiçoava por não ter pego uma roupa antes, agora ela teria de ir até seu guarda-roupas e isso resultara em pingos e pegadas molhadas por todo o chão. Tombando a cabeça para o lado um pouco ela analisou as peças tão bem dobradas e tão bem organizadas por uma sequência de cores enquanto pensava em algo para vestir. 
    Checou os horários das aulas com os livros e cadernos que tinha em sua mochila, felizmente ela já os tinha arrumado na noite anterior. Colocou apenas uma alça de sua mochila enquanto descia os degraus com a mão no corrimão, não é como se as escadas fossem diferentes mas ela só estava morando ali a dois dias. Passou pela sala e por seu pai que estava assistindo a algum noticiário enquanto tomava uma xícara de café e jogou a mochila no assento ao seu lado no sofá.
- Bom dia, filha.
- Bom dia, pai - Disse sorrindo e se dirigindo a cozinha.
  Seu café constituiu em apenas uma fatia de bolo de chocolate - feito por sua mãe - e um copo de suco de laranja, ela não tinha muita fome pela manhã. Caminhou até a sala colocando sua mochila sobre os ombros.
- Vamos? Já está na hora - Virou o aparelho para seu pai.
- O meu carro enguiçou e vou levá-lo hoje a oficina, tudo bem em ir caminhando hoje?
- Sim, tudo bem mas então eu estou um pouco atrasada - Lhe cumprimentou com um beijo no rosto antes de caminhar até a porta - Até mais tarde - Sorriu e atravessou o jardim parando na calçada para novamente ver as horas.
   Na verdade, muito atrasada. Ela logo se pôs a caminhar apressada, raios tímidos de sol esquentavam sua pele de um jeito bom, e as poucas folhas marrom avermelhas de outono que sobraram quebravam sob seus pés, talvez ela estivesse apressada demais, apressada ao ponto de esbarrar com alguém sem perceber.
- Me desculpe eu.. Oh, oi - Se interrompeu quando encontrou com os não tão bem conhecidos olhos azuis mas o suficiente para que ela soubesse quem os pertencia.
 - Oi - Sorriu tímido enquanto arrumava a armação torta em seu rosto devido ao baque - Não precisa de toda essa pressa, não está atrasada.
 - Não gosto de chegar na hora certa, os corredores ficam sempre tão cheios que eu prefiro chegar antes - Disse caminhando ao lado do garoto.
 - Entendo. Hey, você não vai para a escola de carro?
 - Pois é, o carro do meu pai enguiçou e ele vai levá-lo a oficina hoje.
 - Ah - Disse simplesmente.
 - Eu vi a matéria que publicou.
 - Me desculpe se eu a coloquei em encrenca apenas acho que devo manter os alunos informados e aquilo definitivamente era algo que todos deveriam saber.
 - Para se sincera... - Começou - Ficou hilária - Disse e ambos riram.
 - Pode-se dizer que você gosta de entrar com estilo.


   E então eles riram e suspiraram logo depois de um silencio se apossar de ambos.
 - Niall, posso te perguntar uma coisa?
 - Certamente - Sorriu.
 - Onde você fica no intervalo?
 - Eu passo o intervalo escrevendo para o jornal enquanto como algo, eu não sou o tipo ''sociável'' entende? - Ela assentiu.
 - Eu pessoalmente te acho divertido - Ele sorriu afetuoso e a fez sorrir também.
 - Mas parece que não o resto das pessoas.
 - Por que?
 - Não é nada, é só que.... Acho que eu prefiro ficar sozinho mesmo - Desviou o olhar.
 - Entendo.
   De repente foi como se o caminho tivesse encurtado ou algo do tipo, Niall era aquele tipo de pessoa interessante com quem você ente vontade puxar conversa embora essa pessoa muitas vezes desvie de alguns assuntos, aquele tipo de pessoa que parece já ter uma opinião formada sobre tudo e que (Seu/Nome) poderia ouvir sem reclamar por horas.
 - Bem, eu acho que é isso - Ela disse quando pararam ainda no campus em frente ao grande prédio.
 - Pensando bem, acho que eu vou ficar para esse intervalo.
 - E quanto ao Jornal da Escola?
 - Eu não tenho tido muito sobre o que escrever ultimamente.
 - Isso é uma desculpa esfarrapada - Ela disse sorrindo.
 - É, talvez eu só queria conversar um pouco com você no meu tempo livre - Admitiu.
 - E você vai?
 - Definitivamente.
 - Então estarei lá - Sorriu para o garoto antes de se virar e cruzar o campus.
   Como presumiu os corredores estavam lotados por isso ela tinha que alternar entre pedir por passagem e ir empurrando alguém aqui e ali. Quando enfim chegou ao seu armário Pâmela e Stefany conversavam animadas.
 - Está atrasada.


  Afirmou Pâmela.
 - É que eu vim conversando com Niall e... - Disse a garota enquanto guardava alguns livros da segunda aula.
 - Hum, vem acompanhada de um garoto e se atrasa, isso me parece outra coisa - Zombou Stefany rindo.
 - Qual é? Ele é só um amigo, nada mais que isso - Revirou os olhos fechando o armário.
 - De qualquer forma, nos acompanha?  - Sugeriu Pâmela.
 - Sim, também tenho francês.
 - Aquela professora é tão chata - Stefany disse e revirou os olhos.
 - Mas preciso conhecer outras línguas - Elas caminhavam uma de cada lado de (Seu/Nome) de modo que a garota ficava no centro.
 - Conhecer outras línguas?  - Perguntou Pâmela num tom malicioso.
 - Até você? - Perguntou a garota, entretanto riu.
 - Desculpa, não podia perder a piada - Disse dando de ombros e abriu a porta de madeira polida, elas se sentaram em fileiras paralelas e (SeuNome) logo a frente de Stefany. Ainda entrando a sala ela sorriu sem perceber o notando ali.


  Ele mordia uma caneta azul incansavelmente enquanto lia um texto com concentração, os cachos lhe caiam no rosto, era adorável,  tinha de admitir. Ela não pôde resistir a sentar na carteira atrás da sua. Não, ela não tinha uma boa visão de Harry dali mas podia observá-lo - em partes - sem que o mesmo notasse.
    A sala lotou rápido, os alunos estranhamente concentrados e silenciosos, não era algo que se podia esperar de adolescentes com hormônios ebulindo a todo instante. Logo a professora chegou com livros e uma pilha alta e desarrumada de papéis, algumas folhas ficavam um pouco para fora e por cima das outras deixando-as amassadas. ''Ah não, isso não'' pensou (Seu/Nome) desejando que não fosse uma prova. Três ou quatro folhas voaram por conta do ventilador desnecessariamente ligado e caíram, o cacheado rapidamente tomou-as em sua mão e colocou-as de volta sobre a pilha sorrindo e se sentou novamente.
 - Styles? - Disse a professora baixando os óculos ainda sem tirar a atenção dos papéis, Mikaelle e Harry sentados em fileiras paralelas levaram seus olhares a professora e se entreolharam - Pode entregá-las?
 - Oh, claro - Mikaelle sorriu como se tivesse entendido que a mesma se referia a ela.
 Ela pegou os papéis os distribuindo entre as fileiras, a pilha regressando lentamente, ela entregou a prova de (Seu/Nome) com um sorriso petulante rumando até a última fileira e voltou a se sentar.
 - Obrigada querida - Disse e lhe sorri amigável - Bem, eu espero que tenham estudado - Isso era uma pena pois era uma coisa que (Seu/Nome) não havia feito - O conteúdo da prova é basicamente uma recapitulação do que aprendemos ano passado então não será difícil, boa sorte - Disse antes de se sentar em sua mesa e começar a ler uma Vogue com interesse.
   (Seu/Nome) procurou pelo estojo sua caneta preta sem sucesso, procurou-a também pela mochila e por todos os compartimentos da mesma, não achou. ''Droga, eu tinha de esquecer essa caneta justo hoje?'' peguntou a si mesma frustrada. Se virou para Stefany chamando-a num sussurro gritante, ela logo se virou acenando que não tinha uma caneta de sobra e também Pâmela que depois de procurar por algum tempo deu de ombros. (Seu/Nome) se virou e deu de encontro com aqueles olhos verdes, seus olhos eram mais verdes na íris e mais claros perto das pupilas, eram perfeitos, ela tinha de ressaltar. Esperou não ter passado tempo demais apenas observando-o em silêncio.
 - Aqui, pode pegar essa emprestada - Virou na cadeira ficando de frente para ela agora e apontou uma caneta azul com a tampa mordida.


  ''Ele tinha me ouvido? Acho que não sussurro muito bem'' pensou consigo mesma.
 - Espera, acho que vai preferir essa - Virou e se voltou para ela com uma caneta preta e com a tampa não mordida.
 - Hum.. Obrigada


  Disse ainda meio confusa e sorrindo tímida, ele estava falando com ela e ela não sabia o que fazer, ''Não é como se eu tivesse estado sonhando com isso mas agora que ele realmente fala comigo eu fico sem saber o que fazer? Ah, ótimo (Seu/Nome)''.
 - Por nada, lindinha - Disse e deu um dos seus sorrisos perfeitos de covinhas antes de se virar para a frente novamente, ela sentiu seu coração derreter por dentro, ou quem sabe, todo o sangue de seu corpo se dirigindo até suas bochechas, não sabia dizer.


•••

     Não é como se estivesse realmente difícil, isto é, não para Harry's e Mikaelle's da vida, para (Seu/Nome) foi um desafio, do francês ela só sabia o básico e teve de o usar como pôde, algumas questões ela tinha mais certeza de ter acertado que outras mas a probabilidade de ter se dado mal era realmente muito grande, uns 80% no mínimo, e ela provavelmente não estava no outros 20%, a prova terminou exatamente aos 40 minutos da primeira aula como se a professora tivesse contado os minutos minuciosamente. A outra aula se resumiu no conteúdo rotineiro de uma aula comum, verbos. Novamente Mikaelle atendeu ao pedido da professora mas agora entregou a (Seu/Nome) um livro. Os Três Mosqueteiros, ela não tinha lido ainda embora conhecesse a história, ao perguntar sobre a escolha do livro a professora lhe dissera que havia escolhido esse por simplesmente ser o livro de mais sucesso escrito por um autor Francês.
 - Hum... - A professora pareceu escolher alguém - Harry - Ele arrumou sua postura de prontidão e pigarreou - Pode me dizer por que os nomes das entidades mitológicas situadas no livro terminam em ''s''?
 - Em francês, as terminações dos nomes de entidades mitológicas preservam o “s” final do grego, como em Uranos, Cronos, Hefaístos, Ártemis, etc...
 - Ótimo, mas eu acho que posso ir mais além... Me dê um curto resumo sobre Louis-Pierre e sua principal obra.
 - Louis-Pierre Anquetil, diplomata e historiador, publicou os quatro volumes de sua História da França em 1805. A obra alcançou grande sucesso, tendo sido reimpressa várias vezes durante o século XIX - Ela lhe sorriu e anotou algo em seu diário.
    ''Além de ter um rosto e corpo bonito é inteligente, tem como ser mais perfeito?'', ela pensou e logo duvidou. Mas aquela professora parecia ser realmente desafiadora, ou mesmo ''chata'' como Stefany havia dito a (Seu/Nome).
- Pode ler um trecho do primeiro capítulo Harry?
- Bien sûr, enseignant - Aquilo tinha sido um ''é claro, professora'' mas obviamente nem todos haviam entendido - Segurando seu próprio livro ele se levantou e caminhou até a mesa da professora se apoiando na mesma enquanto pigarreava tal como se faz antes de começar a ler.
 ''Les trois de M. cadeaux. d'Artagnan père le premier lundi du mois d'Avril 1625, le village de Meung, où l'auteur est né Romance of rosa 11, semblait vivre une telle révolution explosive comme si les huguenots avaient éclaté de faire une seconde Rochelle 12. Beaucoup de villageois, de voir les femmes à fuir vers le côté la Grande rue, entendu les cris des enfants sur le seuil de la porte, a couru à porter l'armure et, le renforcement de son appareil, une fois douteuse, d'un fusil ou partasana, ont été dirigés vers auberge Franc Meunier, devant laquelle est pressé, l'épaississement de minute en minute, un groupe compact, bruyant et haché par la curiosité''.
    Ela não havia precisado entender as palavras ou o que quer que ele estivesse lendo para achar aquilo sexy, era quase como natural, como se ele não precisasse fazer esforço para ser sexy, bem, talvez não precisasse realmente. E então ele sorriu ao acabar de ler, ''eu lhe daria um A+ simplesmente pelo sorriso ou pelo modo como ele conseguia ler e ser sexy ao mesmo tempo'' pensou (Seu/Nome). Ele de fato havia ganhado um A+ mas provavelmente não pelos mesmos que ele ganharia na mente de (Seu/Nome).

  Os corredores estavam cheios e movimentados devido a troca de aula, o sinal tocara a poucos minutos e milhares de adolescentes eufóricos corriam para pelo menos chegar na sala antes que o professor fechasse a porta, ou no mínimo chegar cedo para ter a chance de escolher os melhores lugares, enquanto outros pouco se importavam em fazer qualquer tipo de esforço para chegar na hora, ou melhor, se atrasar de proposito para perder a aula e assim ter no minimo um motivo coerente para ter cabulado, com aquelas duas figuras perfeitas não era diferente, Mikaelle e Beatrice andavam na direção oposta da sala na qual elas teriam aula, a academia da escola não era tão longe assim, nas escadarias extensas era possível ouvir o barulho dos saltos contra os pisos bem polidos da escola. Chegando ao corredor elas andavam com um ar de superioridade, algumas garotas - mas conhecidas como putas - estavam a frente da academia masculina a fim de ver os garotos malhando, e com isso, tentar conseguir alguma coisa com algum deles. 
  Mikaelle passou por entre elas e foi como se abrissem passagem para ela, mesmo que a garota não soubesse nada sobre os outros, todos a conheciam. Ela era perfeita. Linda, espirituosa, inteligente, atraente. Popular. Os meninos queriam beijar Mikaelle e as meninas - mesmo as mais velhas - queriam ser ela. Beatrice não era tão diferente, a garota tinha grande ibope sobre a cidade apenas pelo o fato de ser filha do xerife, uma garota superficial, inteligente, habilidosa e acima de tudo popular. Então, na primeira vez que as duas favoritas de Holmes Chalpes se juntaram, foi como se soubessem que dali em diante teriam tudo aos seus pés, o que não estava sendo diferente naquele momento. 
  Milhares de garotos musculosos e suados treinavam e faziam seus típicos exercícios, garotas não eram permitidas naquela parte da escola, mas quem ligava? Garotos também não eram permitidos nas aulas de vôlei feminino mas isso nunca os impediu de ficarem escondidos apenas para ver as garotas de shortinho. Os olhares estavam sobre si mas isso nem ao menos importava para elas, já estavam acostumadas em receber toda e qualquer atenção ao chegar nos lugares, elas andavam em direção a um Louis suado e sem camisa que fazia alguns abdominais enquanto ouvia uma música do Calvin Harris em seu Ipod, e foi como se todos parassem de fazer o que estavam fazendo apenas para observar a cena das duas andando, e claro, não podendo dispensar os assobios e elogios profanos que recebiam sem contar nas incontáveis olhadas que os garotos davam enquanto observavam as pernas nuas de ambas por conta da saia curta que estavam habitas a usar. Assim que Louis sentiu a presença de ambas se apressou em desligar o som e se sentou em um dos aparelhos de musculação que estava por perto, pegou sua toalha extremamente branca e secou o suor do rosto para logo em seguida abrir a garrafa de suco energético e tomar uma boa quantidade.
- Precisamos da sua ajuda - Disse de imediato.
- Como sempre - Caçoou.
- Não somos nós que batemos em nerds para fazerem nossos deveres.



- Cada um usa as armas que tem - Deu de ombros - Mas enfim, em que posso ser útil?
- Estávamos pensando em sei lá, talvez dar as devidas ''boas vindas'' para a novata.
- E precisam da minha ajuda para que exatamente? 
- Quem melhor que você para nos ajudar a nos vingar da bastardinha?
- E querem que eu faça o que? Ajude vocês a quebrar as unhas dela? Ah não, espera, acho que roubar o esmalte cor de rosa dela deve ser mais satisfatório.



   Gargalhou e ambas reviraram os olhos.
- Estamos falando sério, Loueh.
- E eu disse que não estavam? Foi apenas um humor matutino, credo - Se levantou e foi em direção a sua mochila preta e começou a revirá-la - Bem, o que vocês tem em mente?
- Alguma coisa que mostre a ela que mexeu com as pessoas erradas.
- Ui maldosas! - Fez uma voz afeminada e riu de si mesmo - Que tal… - Acendeu um cigarro mesmo sabendo que era proibido o fazer na escola - Colocar uma surpresinha no armário dela?
- Não, muito velha, uma coisa mais cômica.



- Humor, uh? - Deu uma tragada em seu cigarro e retirou dos bolso da bermuda preta um tipo de frasco branco - Acho que tenho a coisa certa aqui - Sorriu maldoso. Mikaelle pegou o frasco e seus olhos brilharam com a ideia que lhe ocorreu logo em seguida. (Seu/Nome) mal sabia o que lhe aguardava, pensava enquanto trocava olhares cúmplices com Beatrice.
 - Acho melhor usarem galochas no intervalo hoje, algo me diz que alguém terá uma indigestão - Mikaelle sibilou maldosa ao que Louis e Beatrice gargalharam.

   No andar de baixo não muito longe dali, a garota de cabelos negros corria um tanto eufórica, sentia-se um tanto irresponsável por ficar lendo e assim acabar por perder a hora da aula, ela nem ao menos ouviu o sinal tocar, ou será que ouviu? Bem, isso de fato não importava agora, a merda já tinha sido feita mesmo, ela olhava para o pedaço de papel em sua mão ao qual estava o horário da aula na qual ela estava tendo naquele exato momento, se interrompeu assim que sentiu seu celular vibrar no bolso traseiro de seu jeans, ela bufou ajeitou a alça na mochila em seu ombro e com um pouco de dificuldade alcançou o aparelho e por fim o pegou, e como sempre lá indicava uma nova mensagem de um número "desconhecido".


"Já ressaltei o quão hilário é vê-la em apuros? - A"

 - Haha engraçadinho - Riu sem humor algum e guardou seu celular novamente, e assim que levantou o rosto deu de encontro com três figuras um tanto parecidas que estavam treinando vocais, Nick, Joe e Kevin, os Jonas, pelo qual ela felizmente já conhecia, eles treinavam as vozes fazendo muitos vocais, e disso ia desde notas graves até notas agudas, o que ela devia admitir eles se saiam bem em todas, e indo mais para frente ela ficou rente á soleira da porta a fim de vê-los mais de perto. A música da hora era a mesma que eles cantaram no primeiro dia de aula, a qual ela havia gostado muito, e foi por esse motivo que assim que chegaram no refrão ela se viu cantando junto a eles.
 - Nada mal - Joe sorriu e logo ela sentiu suas bochechas criarem um leve rubor. 
 - Me desculpe eu... - Negou com a cabeça - Devia estar na aula agora, me desculpem por atrapalhá-los - Disse e virou-se pronta para sair dali até sentir mãos quentes a segurarem.
 - Hey, tudo bem, por que a pressa? - Joe lhe sorriu e a puxou a levando para perto de seus irmãos.
 - Eu hãn... Estou meia atrasada para aula, só isso.
 - Ah é?! E que aula tem agora?
 - Inglês - Fez uma careta.
 - Com a professora Margo? - Nick perguntou enquanto guardava sua guitarra.
 - A própria.
 - Kevin tem essa mesma aula, ele também esta atrasado - Sorriu e ela olhou para Kevin que guardava suas baquetas apressado.


 - Muito atrasado - Ele corrigiu o irmão, e jogou uma alça da mochila sobre os ombros.
  A garota olhava tudo aquilo um pouco receosa, tinha de admitir eles eram um tanto hilários quando queriam, o modo como tratavam um ao outro, como cuidavam de si, era algo que era de se admirar, ela sorriu com o pensamento e foi desperta por Kevin.
 - Você vem?
 - Para onde?
 - Aula de Inglês?


   Fez uma expressão confusa.
 - Acha mesmo que a professora vai nos deixar entrar? - Kevin abriu a boca para responde-la mas Joe o interrompeu.
 - Eu deixaria - Deu de ombros e eles o olharam confuso como se pedisse para ele especificar - Quer dizer, para uma aluna desse... jeito - A olhou dos pés a cabeça e mordeu o lábio - Eu deixaria entrar sem problemas.


  (Seu/Nome) ficou sem fala e mau sabia como respondê-lo, para falar a verdade nem sequer sabia se sairia alguma palavra de sua boca, mas agradeceu aos Céus quando Kevin a puxou pelo corredor extenso enquanto conversava com a mesma e dizia as vantagens de tocar no Rádio da escola e assim poder chegar atrasado nas aulas.

   Ele sentia seu peito se contrair e a incrível sensação de adrenalina corria por suas veias, fazia esforços e com sorte ainda se mantinha a frente de todos, enquanto a única coisa no mínimo audível era o dançar das mini ondas que eram provocadas na água devido a movimentação, ele podia ver as bolhinhas a sua frente provocadas também pela movimentação, chegando ao final do percurso fez um tipo de ''mortal'' na água e se impulsionou na parede para enfim fazer tudo novamente até chegar a linha de chegada e ouvir o tão costumeiro som dos apitos do professor Jason.
 - Você fez uma ótima corrida, Styles - Estendeu a mão ajudando o aluno a sair da piscina, Harry se sentou na beirada e retirou seus óculos de natação, e foi recebido por uma toalha que o professor jogou para si.
 - Qual o tempo? - Perguntou enquanto secava suas orelhas e rosto.
  Jason retirou o cronômetro de seu bolso e o encarou durante alguns segundos para depois sorrir.
 - Parece que temos um novo record aqui, 24.04, está de parabéns! 
  Harry bufou irritado e se levantou secando os cachos.
 - Algum problema com o resultado? - O professor perguntou meio confuso.
 - Todos! Posso fazer um tempo melhor que esse.


   Disse um tanto irritado, pegou sua toalha e a amarrou na cintura.
 - Particularmente acredito que você foi muito bem.
 - Ahan - Harry disse com um pingo de sarcasmo.
 - Styles, olhe para mim - Jason o chamou autoritário e ele se virou ainda com uma carranca - Olhe, esse foi apenas um treino, nada muito sério, não foi nenhum campeonato da liga nem nada, todos esses alunos que estão aqui hoje vieram no mesmo propósito que você, e todos assim como você tem ótimos tempos e resultados, mas no entanto você tem se mostrado melhor, você tem um corpo propício para a natação e leva jeito para isso. Então apenas peço que não exija tanto de você, tudo bem?


   Harry mesmo não totalmente de acordo assentiu e Jason fez o mesmo se distanciando do garoto e indo ver seus outros alunos, Harry pegou uma garrafa de água colocou suas vitaminas e tomou, se alongou um pouco e logo já estava na água límpida da piscina novamente.

•••

   A aula já acabara a alguns minutos e todos já se vestiam para irem para o intervalo, Harry não era diferente guardou suas coisas e passou seu desodorante e perfume, vestiu a camiseta azul clara e ajeitou os cabelos ainda molhados estava prestes a sair quando o professor o chamou.
 - Styles, será que pode esperar um minutinho, Uh? - Harry assentiu.
  "Era só o que faltava, mais uma lição de moral", pensou o rapaz de cachos, todos já tinham saído e restaram apenas Harry e Jason ali.
 - Aqui está Styles - Lhe entregou um envelope amarronzado, ao que ele franziu o cenho - O pagamento. Está tudo ai como prometido, pode conferir. Uma boa quantia em dinheiro pelo trabalhinho que você fez.


  O estridente sinal tocou e os alunos saíram apressados de suas respectivas salas, (Seu/Nome), Stefany e Pâmela não fizeram diferente. Elas se livraram de suas mochilas, cadernos e livros deixando os em seus armários metálicos e se dirigiram até o refeitório já cheio de alunos. 
 - Eu sabia responder a questão mas ela só tinha olhos para o Harry, eu disse que aquela velha é uma chata - Disse Stefany.
 - Ele foi legal em me emprestar uma caneta - Ela disse simplesmente mas é claro que as novas amigas já interpretaram de outra forma.
 - Isso não faz dele menos babaca. 
 - Ele até pode ter sido legal com você mas não se esqueça de que ele é o Harry, o cara que já comeu metade da escola - Disse Pâmela enquanto entrava na fila, (Seu/Nome) a acompanhou pegando novamente o pedaço de torta.
Ela o procurou com os olhos e logo o encontrou sentado sozinho numa mesa. Ele já tinha sua bandeja feita e acenou, "Mas o sinal havia acabado de tocar, isso era algum tipo de privilegio de ser do jornal da escola?" pensou sozinha. As amigas se dirigiram á mesa costumeira mas (Seu/Nome) seguiu outro caminho.
 - Vem com a gente, Liam disse que comprou um jogo novo irado, quem sabe nós podemos passar na casa dele mais tarde para jogar - Sugeriu Pâmela acenando com a cabeça.


 - Me desculpem garotas, prometi a Niall que iria almoçar com ele.
 - E depois não quer que pensemos besteira...


  Disse Stefany e ela presumiu que aquilo fosse um "Ok" ou "Tudo bem" e se dirigiu a mesa do louro sorrindo.
 - Disse que viria e aqui estou - Ele disse sorrindo tímido.
 - Bem, eu também, então aqui estamos, sozinhos - Completou um tempo depois enquanto se sentava ao lado do garoto.
 - Já disse que não sou o tipo sociável - Disse enquanto fazia um barulhinho irritante com o canudinho do suco.
 - É, eu percebi - Ás palavras novamente pareceram esvair aos poucos de ambos e um silêncio se propagou ali - Então, é natural? - Ela perguntou puxando assunto mesmo sabendo o quão idiota a pergunta tinha sido, ele fez uma expressão confusa - Seu cabelo, é louro natural? 
 - Ah sim, não, eu descolori e tingi.
 - Ah, eu presumi - Abafou um riso depois de mordiscar um dos últimos pedaços de sua torta, ele rira também.


 - Já vi que a dona Maura não escolheu a melhor tintura - Caçoou e ela riu mais. 
 - Maura?
 - Sim, minha mãe, eu a pedi que comprasse a melhor tintura.
 - Ah, entretanto ficou bonito, combinou com você.
 - Obrigado - Ele sorriu afetuoso e sentiu um pouco de ar lhe faltar.
 - Hum, isso aqui está bom - Disse de boca cheia enquanto apontava para o pedaço de torta com o garfo, Niall riu.
 - Não está aqui a nem uma semana - Disse e riu.
 - Sim, mas hoje parece melhor que o normal - Niall riu mas se interrompeu sentindo seu celular vibrar em seu bolso.
Desbloqueou-o com o dedão enquanto descobria uma nova mensagem na caixa de entrada.

"Você não é o único odiado pelos populares aqui Niall, se a preza mesmo acho melhor ficar de olho na garota - A"

  "De novo esse idiota? Quem pode ser?" pensou Niall olhando em volta.
 - Estava bom demais para ser verdade, Niall eu... - Se auto interrompeu a garota que logo depois saíra correndo tapando a boca com as mãos. Niall a parou segurando-a pelos ombros, péssima ideia. Ela se abaixou e Niall quase que no mesmo momento segurou as mechas de seu cabelo e desviou o olhar enquanto ela tossia e cuspia todo o seu almoço para fora.
   Ela ainda tinha as mãos apoiadas sobre os joelhos e o rosto voltado para o chão quando pôde ouvir alguns "ew's" e coisas do tipo. Ela podia sentir todos os olhares dali em si, até mesmo os mais intimidadores, suas bochechas estavam tão rubras que chegavam a arder e ela queria simplesmente sumir.
 - Você deve ter nojo de mim agora - Riu sem humor enquanto limpava a boca com as costas da mão.
 - Venha, eu vou te levar até a enfermaria - Meio que riu.
 - Você é um amigão Niall.
  Entre os que riam descontroladamente da situação estavam Louis, Harry, Mikaelle e Beatrice em sua típica mesa que mais ninguém ousaria fazer menção de se sentar.
 - Mas o que acabou de acontecer aqui?! - Perguntou Harry ainda rindo muito.



 - Bem, ela vomitou - Disse Louis como se fosse óbvio, na verdade era.
 - Foi uma pergunta retórica Louis - Rebateu.
 - Vejo que alguém engoliu um dicionário, onde aprendeu essa palavra? Ou melhor, em que site pediu para Niall procurá-la para você? - Rebateu Louis novamente fazendo Harry revirar os olhos.
 - Mas sério, isso não é algo que acontece habitualmente aqui - Eles riram - Vocês têm algo haver com isso, não é? - Presumiu. As garotas riram mostrando-lhe o frasco do medicamento - Vomifero? Sério? Você são hilários - Todos riram mais.
 - Só achamos que ela deveria receber as ''boas vindas'' de um jeito mais humorado.


 - Tenho que admitir, foi engraçado, mas não acham que pegaram pesado demais? - Todos os três olharam para Harry com uma das sobrancelhas levantadas, olharam-lhe como se ele estivesse louco.
- Acho que preciso te lembrar algo, você é um Styles, você não se preocupa com as outras pessoas - Alertou-lhe Mikaelle.
- Aí depende, ela não fez algo para vocês, fez? - Agora eles olharam-lhe com uma expressão tediosa - Okay, ela fez mas... Querem saber? Esqueçam, eu vou dar uma volta - Disse se levantando e saindo ao que os outros três voltaram a rir e comentar sobre o recente e cômico acontecimento.

   Ainda sentada sobre a maca ela balançava os pés numa tentativa falha de aliviar sua tensão, o creme dental lhe dava uma sensação de frescor ao ser misturado com a bala de hortelã muito forte e ardida, ainda sim ela podia sentir aquele gosto horrível. Niall a observava encostado na soleira da porta. O Dr.Smith havia saído a poucos minutos e ela tinha de o esperar com o resultado de sua rápida avaliação.
 - Bem, algo me diz que foi provocado - Disse entrando novamente na sala.
 - Eu não provoquei o vômito.
 - Mas ingeriu um medicamento para tal.
 - Está insinuando que eu sou bulímica?
 - De forma alguma mas são os resultados que tenho, de alguma maneira você ingeriu o medicamento.
 - Não me lembro de tê-lo feito - Seu celular vibrou ritmado em seu bolso e ela o tomou para si - Só um minuto, tenho de ver isso - E o desbloqueou apertando logo o ícone da caixa de entrada na tela.

"Como estava a torta? O sabor estava mais para medicamento ou ódio? Ou os dois? - A"

  ''Oh droga, não me diga que...''
 - Foi a torta, a maldita torta, armaram para mim - Ela disse novamente bloqueando o celular e se virando para Niall.
 - Bem, isso já não é a minha área - E abriu a mão lhe entregando uma caixa com uma cartela de comprimidos - Tome isso e mais tarde já estará bem, pedi a diretora que suas amigas pegassem sua mochila e material, por ora acho melhor ir para casa descansar.
 - Tudo bem - Desceu da maca pulando até o chão e pegou seu casaco sobre o encosto da cadeira do doutor o colocando depois.
   Ela e Niall se dirigiram ao corredor logo saindo dali.
 - Como se sente? - Perguntou Stefany.
 - Melhor agora.
 - Devíamos ter ficado com você - Lamentou Pâmela.
 - Tudo bem garotas - Disse sorrindo fraco e tomando sua mochila sobre os ombros.
 - Tchau Niall, e obrigada novamente - Disse lhe selando os lábios na bochecha ao sair, ele novamente sentiu o ar lhe faltar um pouco e um sorriso bobo lhe cobrir os lábios.

  As gotas de suor lhe escorriam pela testa e seus braços cansados já doíam, seria hora de parar? Não para Liam. Ele estava na academia há algum tempo, não sabia ao certo. Para qualquer garoto da idade de Liam treinar uma hora por dia três vezes por semana já era o bastante, mas não para ele, ele estava na academia todo dia, sempre no mesmo horário, ficava por lá em média 2:00 ou até 3:00 horas - se estivesse disposto, hoje não era diferente. A regata branca lhe colava ás costas devido ao suor e após secar seu rosto com sua toalha ele viu sua segunda garrafa de água acabar, deixou a toalha ainda sobre sua nuca e decidiu ir pegar outra garrafa de água. Enquanto caminhava ele notava as garotas do outro lado do vidro extremamente transparente da academia mas preferia ignorar, algumas mais ''vadias'' que outras murmuravam frases insanas e mesmo achando aquilo estranho ás vezes ele ria. Enquanto ele bebia sua terceira garrafas de água ele a notou ali, a loura Pâmela o observada do lado de fora da academia, ela sorriu e lhe acenou. Ou ele nunca a tinha reparado ali ou ela realmente nunca tinha estado ali para o ver antes, isso o fez engasgar e derrubar o resto da água em si mesmo e transparecer sua regata, o que resultou em mais garotas fogosas e um Liam que revirava os olhos. Ele voltou-se novamente a olhar para a loura mas ela não estava mais ali assim como as outras garotas que por algum motivo haviam saído, alguns rostos eram conhecidos para ele por que estavam habituadas a verem Liam malhar e sabiam a hora em que ele parava e só saiam dali nesse momento. Fez uma expressão confusa se dirigindo até o vestiário, mas foi interrompido por seu celular que tocava estridentemente seu toque de mensagens, ele parou por um instante enquanto desbloqueava a tela deslizando o dedão pela mesma e ia até a caixa de entrada e a abria.

"Acho que você vai suar bem mais vindo atrás de mim, por que não tenta Liam? - A"

   Mas Liam não estava completamente sozinho? Como sabia seu nome? E quem poderia ser tão idiota para assinar uma mensagem apenas como ''- A''? Ele olhou em volta e autenticando suas expectativas ele realmente estava sozinho, ou pensava isso até ver de soslaio a silhueta de alguém de costas refletida num dos grandes espelhos dali. Olhou em direção de onde a imagem deveria estar sendo refletida mas nada viu, e também nenhum reflexo, quem quer fosse era rápido, mas Liam também. Ele saiu em disparada por vezes vendo parte do que parecia ser um casaco vermelho de capuz, um capuz vermelho. Nem mesmo ele sabia que poderia correr tão rápido mas logo estava um tanto longe da academia, ele parou em frente ao pátio mas a pessoa de capuz vermelho havia o despistado. Sentiu seu celular ainda em sua mão vibrar novamente, um raio não cai no mesmo lugar duas vezes, não é? Sim, definitivamente cai.

"Parece que você não é tão bom corredor assim, Gabe também não era e foi por isso que não pôde fugir de você - A"

   Ele estava um turbilhão de emoções, ele se viu eufórico, confuso, cansado, vagamente assustado e com sede de encontrar quem quer fosse aquele idiota e lhe ensinar como ameaçar alguém de verdade.


  As respirações descompassadas tocavam a pele de ambos, emitindo assim leves choques elétricos pelo corpo de ambos, o sorriso lhe surgiu nos lábios rubros, os dedos brincavam na colo de sua camiseta, os olhos azuis agora estavam mais escuros e observavam cada traço delicado da garota, como se sentisse falta disso, as mãos pousadas em sua cintura, que logo deslizaram um pouco pela coluna, subindo em descendo numa caricia, o perfume que usava não era o mesmo na qual estava habituada mas mesmo assim era bom, os verdes em contato com os azuis, e num roçar de lábios eles iniciaram um beijo, Stefany agora puxava um pouco a gola da camiseta de futebol de Louis, já o mesmo parara com as cariciais e agora apertava sem pudor algum a cintura da garota, as mãos pequenas afrouxaram um pouco o aperto na gola e subiram para os cabelos lisos e macios de Louis, a língua macia do garoto acariciava seu lábio inferior num pedido silencioso, e assim ela o concedeu, dando passagem e assim aprofundaram o beijo, as mãos que antes estavam em sua cintura agora estavam em suas coxas que num impulso entrelaçou-as em volta de sua cintura, as mãos apertando as coxas enquanto a garota dava leves mordidas em seu lábio, eles podiam continuar com aquilo mas como sempre algo tinha que lhes atrapalhar, passando uma das mãos no cóccix da garota Louis pode sentir seu celular vibrar, e num estalo eles se separaram.
 - Droga - Chiou baixinho e Stefany sorriu e lhe deu um selinho ao que ele a pôs no chão novamente e ele pegou seu celular, as mãos de Louis agora estando em seu quadril - O que é? - Perguntou assim que a viu desbloquear a tela.
 - Uma mensagem de... Um número privado - Disse meio confusa e abriu a mensagem.

"O proibido é sempre o mais gostoso. E você e Louis sabem disso melhor do que ninguém. Lembrem-se de tomar cuidado, não queremos que ninguém descubra, certo? -A"

   A garota agora tinha uma expressão de espanto assim como Louis que inevitavelmente conseguiu ler a mensagem.
 - Quem é "-A"? - Louis questionou sério e ela suspirou.



 - Eu não... Eu não faço ideia, como que...? - A garota tentava processar tudo aquilo enquanto ainda tinha a tela aberta nas mensagens em mãos.
 - Você contou a alguém?!
 - Claro que não! Olhe, eu não faço ideia de quem mandou essa mensagem - Louis virou o rosto na direção contrária e bufou - Eu não contei a ninguém.
 - Não, é?! Mas talvez "-A" tenha contado para B e C, ou até mesmo D.



    Disse se separando da garota e virando-se para sair dali.
 - Aonde vai?
 - Já deu por hoje, Stefany - Foi tudo o que disse antes de sumir completamente de seu campo de visão.


   Jogando sua mochila em sua cama ele se livrou da sua camiseta, o dia na escola havia sido cansativo - como sempre -, estralou o pescoço enquanto achava um jeito de relaxar, retirou seus jeans pretos e foi em direção ao seu guarda roupas, abrindo a porta do mesmo retirou de lá sua bermuda branca, a vestiu e foi em busca de seus tênis de corrida, não obtendo muito sucesso ele abaixou-se e os encontrou embaixo de sua cama, calçou seus nikes pretos juntamente de um par de meias brancas, pegou seu boné predileto também branco e desceu as escadarias, Mikaelle estava na casa de Beatrice, Gemma só vinha para casa nos finais de semana, Robin estava preso no trabalho e sua mãe estava ocupada demais no estúdio, ou seja, ele tinha a casa todinha para si, normalmente quando as pessoas ficam sozinhas em casa ela tendem a aproveitar, não Harry, ele se sentia meio desconfortável ficando em casa sozinho por isso quase sempre que isso acontecia ele saia para correr com Mason. Foi até a cozinha e abriu a geladeira em busca de alguma sobremesa que restara do jantar e logo encontrou seu tão predileto mousse de chocolate, pegou a vasilha e assim que se virou pode ouvir o barulho pesado de patas sobre o piso de mármore e logo um Mason animado pular em cima de si, e assim quase provocando um desastre. O labrador preto latia alto enquanto deixava várias lambidas no rosto do dono que apenas ria alto.
 - Hey garotão! - Colocou a vasilha na bancada e deu atenção ao seu fiel amigo - Sentiu saudades? - Perguntou e como se respondesse Mason latiu mais algumas vezes enquanto abanava o rabo rapidamente - Também senti sua falta grandão - Abraçou o animal que começou a lamber sua orelha o fazendo soltar uma gargalha - Okay, okay - O empurrou um pouco - Que tal uma corrida, uh? - Mason latiu mais algumas vezes enquanto girava, Harry entendeu aquilo como um sim, pegou então a coleira e uma pera na fruteira, o chamou e colocando a coleira em Mason os dois saíram porta a fora.
   O dia estava um pouco ensolarado, nem muito frio nem muito calor, do jeito que Harry gostava, de qualquer maneira, assim ele não se cansaria tão facilmente, ele e Mason correram exatos três quarteirões e ao que tudo indicavam não estavam nem um pouco afim de parar, Harry já estava ofegante e mesmo sendo asmático sabia a hora de parar, e de fato, a hora não era aquela, os cachos agora estavam grudados em sua testa devido ao suor, os músculos estavam rígidos e suados assim como o abdômen, e ele respirava e inspirava pela boca. Mais alguns quarteirões e logo Harry se permitiu parar frente a uma loja de conveniências, fez carinho em Manson e o deixou preso perto a uma árvore enquanto ia comprar uma garrafa d’água.
  As mãos cruzadas mostravam o quão pensativa e ao mesmo tempo distraída ela estava, ela queria muito saber quem era -A e ao mesmo tempo não queria, saber que esse ser maléfico estava em todo e qualquer lugar que ela estava lhe assustava e lhe assustava ainda mais saber que mesmo não estando por perto sabia tudo sobre ela, suspirou e finalizou sua casquinha de sorvete, limpou as mãos e estava pronta para traçar o caminho de volta para casa quando algo a fez assustar, uma buzina alta seguida por um xingamento, ela olhou para o outro lado da rua e viu um labrador preto correndo e propositalmente quase sendo atropelado, o animal usava coleira então provavelmente tinha dono, conseguindo o alcançar ela o segurou pela coleira, ele abanava o rabo e tinha a cabeça pendida para o lado, ela sorriu e se agachou frente a ele.
 - Olá amigo - Fez carinho em sua cabeça - Está perdido… - Olhou para a coleira em seu pescoço e pode ver uma plaquinha de prata em formato de osso com o nome “Mason” e no outro lado “N°117 Holmes Chapel” - Mason - Sorriu ao que o labrador a lambeu ao escutar seu nome, ela continuou fazendo carinho nele - Onde está seu dono, uh? - Questionou olhando para os lados e sentiu sua respiração falhar assim que o viu no outro lado da rua, estava com o corpo suado e o abdômen definido a mostra, de boné e com os cachos suados e grudados em sua testa "wow!" era tudo o que ela conseguia pensar no momento, gelou por alguns instantes assim que o viu sorrir e vir em sua direção, ela até levantaria mai foi como se seu corpo não a obedecesse mais.
 - Achei você! - Sorriu abertamente e veio chegando mais perto, sentiu suas bochechas corarem e logo percebeu que ele falava do cachorro, "claro que ele estava falando do cachorro (Seu/Nome) seu subconsciente debochava de si, Harry chegou perto de Manson e tomou sua coleira em mãos - Devia ter amarrado mais forte sua coleira - Sorriu mostrando as covinhas e virou-se para (Seu/Nome) - Obrigado por ter olhado ele, não sei o que aconteceria caso não estivesse aqui.
 - Ah, por nada - Sorriu e Harry fez o mesmo - Ele é mesmo um cachorro incrível.
 - Sei disso, e algo me diz que ele gostou de você.
 - Bem, não posso negar, também me encantei por ele - Disse e ambos riram.


 - Tenho que… - Apontou para trás de si - Continuar correndo, se me der licença, obrigado mais uma vez - Acenou para a garota e voltou a correr, (Seu/Nome) suspirou o observando ir, por que toda vez que ela falava com ele sentia aquele onda de borboletas no estômago? Negou com a cabeça e virou-se pronta para fazer o mesmo quando sente seu celular vibrar.

"Algo me diz que você não faz o tipo dele -A"

  A garota bufou e guardou o celular no bolso irritada, até quando teria de aguentar essa pessoa sem graça que nem ao menos assinava os "recadinhos" de forma coerente? 

   A noite já caíra e normalmente todos estariam em suas devidas casas descansado para o próximo dia, mas não as duas garotas que estavam a um bom tempo escondidas ao longe no carro, a cabeça encostada no vidro da janela do carro enquanto mexia no celular sem muito interesse, Beatrice bocejou e virou-se para a amiga ao lado.
 - Quanto tempo mais devemos esperar? 
 - O tempo que for necessário, as luzes não estão apagadas isso significa que ainda tem gente lá.




   Respondeu desinteressada e voltou sua atenção ao vidrinho de esmalte vermelho sangue na qual ela passava.
  Beatrice suspirou e ficou tamborilando em sua perna afim de passar o tédio. Cerca de 20 minutos depois elas puderam ver as luzes apagadas e um segurança saindo, se entreolharam e sorriram assentindo logo em seguida, Mikaelle pegou no banco traseiro a bolsa de couro negro e retirou de lá duas máscaras de ski pretas, entregou uma a Beatrice e usou a outra, colocou as luvas de couro preto e ambas saíram do carro, os coturnos pretos fazendo barulhos nas pedras soltas sobre o asfalto, o beco era sombrio e escuro como seus corações, e em poucos passos já estavam frente a porta de ferro grosso, Beatrice fez um sinal e Mikaelle assentiu e com muita agilidade arrombou a porta, subiram as escadarias de ferro e puderam achar em um corredor o cofre, e com ajuda de um pé de cabra logo deram fim no mesmo também, e lá estava a mala de couro marrom, a pegaram e saíram sem nem se importar em esconder seus rastros, o carro já lhes esperavam, adentraram o mesmo e deram a partida, segunda parte do plano? Feita.


CONTINUA...


<< Capítulo Anterior                                                                                                                                                                                         Próximo Capítulo >>


Hello darling! - Isso foi pra td mundo okay ghgdhgh - A Sara disse pra eu postar esse então eu to aq pela primeira vez, - avá - não acho q tenha necessidade mas devo dizer que eu a Sara estamos pirando com o número de comentário, vocês são maravilhosas e nós amamos cada uma de vocês, bem, a gente ta gostando mt de saber q vcs já tem especulações de quem pode ser -A e de quem ta envolvido em td isso e q vcs tem gostado da fanfic, amo ler comentários grandes mas amo td q vcs comentam, sendo um ''continuaa'' ou um textão - dfgfhgfh. Tenho umas perguntinhas, - como sempre - quem vcs acham q é -A agr? Oq vcs acham que tem naquela mala que as garotas pegaram? Quem pode ser Gabe? - a propósito, as mensagens referidas a alguém só serão compreendidas com o tempo, acalmem-se gafanhotos dgxfgfxg - vcs podem responder nos comentários ou simplesmente dizer algo q tenham vontade sobre a fanfic, elogiar, criticar, opinar, sugerir algo, mas comentem pra gente sempre poder estar em contato com vcs. Eu quero me desculpar prla demora e por estar postando de madrugada é q a gente não sabia q vcs iam gostar tanto da fanfic e comentar tão rápido, espero q aceitem minhas desculpas. Nousa, isso ficou grande, eu falo/escrevo demais. c:
Esse capítulo é dedicado a alguém mt especial, nossa querida Isabella, a Bella ta aq desde a primeira versão da Madness - q aliás não era nada em vista dessa - ela acompanha a gente em td lugar, - acho q ela é uma stalker fgdfg - e sempre opina sobre a fanfic, ela é bem fiel e comenta e lê assim q a gente posta, eu a Sara sempre falamos com ela e pedimos opiniões sobre algumas coisas, ela é perfeita. Enfim, a Sara me disse q seria legal fazer isso pq ela não pôde mandar os ''Parabéns'' pra ela no fb ai decidiu q a gente deveria dedicar o cap a ela, então aq vai Isa, a gente te deseja td de bom e do melhor, vc é uma pessoa incrível além de leitora ávida, amamos vc ♥
A Sara tbm teve a ideia abrimos um espaço para dedicações, se está perto do seu aniversário, vc teve uma ideia e a gente a aceitou ou simplesmente quer q a gente diga umas palavrinhas sobre vc pode mandar convite no fb q a gente aceita e se fala um pouco c: Facebook da Sara aqui.  Meu facebook aqui.É isso, amamos tds vcs - :) x

Madness Of Teens - Capítulo dois / 1ª Temporada

17 comentários:


Capítulo dois - Quantos segredos você pode guardar?

"Sempre há mais do que as pessoas pensam"

Narrador On.

 Acompanhada pela ruiva e a loura (Seu/Nome) se dirigira até os corredores carregada de livros e cadernos. Ela observava Stefany e Pâmela  conversando animadamente enquanto se perguntava se havia feito duas novas amigas, provavelmente. Ou não, nem o nome dela elas sabiam, não ainda. Elas chegaram até seus armários não exatamente perto, Stefany e Pâmela tinham seus armários paralelos uns aos outros já o de (Seu/Nome) ficava dois armários depois do de Stefany. Elas guardaram seus livros e caminharam até o armário de (Seu/Nome) enquanto a mesma ainda o fazia.
 - A propósito, sou (Seu/Nome) - Puxou assunto ainda de costas.
 - Ah sim, aquele professor é mesmo um porre.
 - Aposto que ele não teria ligado se fossem as promíscuas que estivessem conversando - Pâmela completou Stefany. (Seu/Nome) guardou um último livro e se virou batendo a porta azul de alumínio do armário - Quais são os planos?
 - Hãm?
 - É intervalo - Stefany disse rindo um pouco, ela e Pâmela sempre se completavam?
 - Normalmente eu almoçaria mas não sei bem, tava pensando em pegar uma maçã e ir até o campus, só ficar ouvindo músicas nos meu fones, ou quem sabe ler A Ascensão do Governador - Seu olhos brilharam com a última ideia, os últimos capítulos tinham estado muito interessantes.
 - Vem com a gente para o intervalo - Stefany disse sorrindo
 - A Ascensão do Governador? - Perguntou Pâmela curiosa.
 - É, é o primeiro da série de livros de The Walking Dead - Agora elas caminhavam embora (Seu/Nome) ainda não tivesse decidido o que iria fazer.
 - Nunca vi - Disse simplesmente.
 - Vocês têm de ler, é simplesmente perfeito - Disse sorrindo.
 - Parece legal.
 - Gente? Eu ainda estou aqui - Pâmela e (Seu/Nome) riram - Ouvi dizer que alguém vai cantar no intervalo, vem com a gente, vai ser melhor que ficar lendo esse livro entediante.
 - Tá, eu vou com vocês - Se deu por vencida - Hey, não é entediante! - Stefany revirou os olhos e elas caminharam até o refeitório.
    As paredes eram cobertas por quadros de avisos, alguns cartazes colados e folhas com diversas opções de projetos extracurriculares que (Seu/Nome) observaria mais atentamente mais tarde, quem sabe teria algo legal. Havia um burburinho enorme no lugar, a maioria dos alunos conversavam sobre o que havia feito nas férias e alguns poucos sobre as tarefas e trabalhos que teriam de fazer. Diversas mesas já tinham seus lugares ocupados embora uma no centro estivesse completamente vazia. O lugar era dividido por setores, um para comida sem glúten, outro para quem tivesse alergia a amendoim, outro para quem tivesse intolerância a lactose e finalmente um sem exceções. Seguida de Pâmela e Stefany (Seu/Nome) pegou uma bandeja amarela com diversas divisórias e entrou na fila depois delas. Demorou um pouco mais que elas, não era fácil decidir entre pudim e torta de maçã, qual seria a probabilidade de ela ser mais feliz comendo o pudim ao invés da torta? Depois de algum tempo optou pela torta.
 - E então (Seu/Nome), vai se escrever em alguma coisa?
 - Você poderia fazer teatro, acho que lhe cairia bem - Sugeriu Pâmela enquanto elas caminhavam.
 - Teatro? Eu? - Fez um som de descaso com a boca - Não acho que fosse dar certo, eu provavelmente esqueceria alguma fala - Riu de si mesma e Stefany a acompanhou.


 - Bem, então poderia... - Começou Stefany mas foi interrompida, por uma voz melodiosa que (Seu/Nome) logo reconheceu, ah não, de novo não.
 - Não acho que vai querer se sentar aí - Sorriu a garota que mais cedo ela havia visto na aula com Harry e que estranhamente se parecia com ele. Revirou os olhos suspirando pesado e se afastou delas, a outra lhe lançou um sorriso falso.
 - É a ''mesa'' deles - Disse Stefany revirando os olhos e (Seu/Nome) assentiu.


 - Não haveria outro motivo para estar vazia - Disse mais para si mesma que para as outras duas.
 - Aqui! - Acenou Pâmela já sentada em uma mesa que ficava paralela a um palco coberto por uma cortina vermelha do que parecia ser veludo. Ela e Stefany caminharam até a mesa de Pâmela e se sentaram ao seu lado.
 - Quais são as próximas aulas de vocês? - Perguntou Stefany e tomou um gole da pequena caixa de leite.
 - Tenho química - Respondeu Pâmela e deu uma colherada em seu pudim.
 - Matemática - Disse com ar de tédio e levou o garfo com a torta até sua boca - E são duas - Disse quase incrédula, Pâmela e Stefany riram.
 - Também tenho matemática, você vai descobrir que a professora Mary é incrivelmente chata - Disse e deu pausa recomeçando logo depois - Talvez nós... - Foi interrompida, (Seu/Nome) estava começando a acreditar que ela tinha um problema para completar frases. Ouviram um burburinho de vaias e se viraram encontrando um grupo de garotos que pareciam ser do time de futebol americano de Harvard em volta de uma garota, e é óbvio que as duas garotas encrenqueiras tinham de estar envolvidas naquilo.
  - E então, como foram as férias? - Disse uma delas com ar de humor ácido.
  - Você foi ao rodeio? - Completou a mais alta rindo e novamente elas fizeram o high-five.


  - Ouvi dizer que andou cavalgando muito nas férias - Disse ao que todos em volta gargalharam.
  - Dá para me deixarem em paz? - Disse a garota no centro tentando fugir daquilo.
   Os garotos - extremamente infantis - agora começavam a fingir uma tosse enquanto murmuravam discretamente ''vadia, vadia'', a garota correu dali irritadiça e todos riram como se fosse a coisa mais engraçada que já presenciaram, (Seu/Nome) só quis revirar os olhos, e o fez.
 - Alguém já pensou em enfrentar elas? - Perguntou voltando a comer.
 - São covardes demais para isso - Pâmela disse simplesmente.
 - Nós já tentamos fazer isso mas elas têm muito ibope por aqui, só conseguimos parecer estúpidas.
 - E quanto aos dois garotos?
 - Eles são os reis daqui, como os deuses dos garotos - (Seu/Nome) perguntaria mais se não tivesse se auto interrompido quando ouviram o som estridentemente irritante de auto-falantes sendo ligados, essa escola tinha um problema em interromper as pessoas, concluiu.
   As cortinas se abriram revelando três garotos, eram todos muito parecidos exceto pelo cabelo, dois deles tinham o cabelo mais cacheado. Todos tinham olhos castanhos, cabelos castanhos, pele clara e eram um tanto altos. O da esquerda e direita tinham os microfones presos em suas hastes pois seguravam guitarra e violão, já o do centro tinha o microfone em sua mão.
 - Olá Harvard, somos os Jonas e queríamos desejar-lhes um ótimo começo de aulas - Disse o do centro. Uma música agitada e divertida começou a tocar nos auto-falantes prendendo a atenção de todos.
 - Standing on a dirty old roof top, down below the cars in the city go rushing by, I sit here alone and i wonder why... - Um deles começou, Stefany lhou para (Seu/Nome) e sibilou sem som que eram então eles que iriam tocar ali.
 - We're the kids of the future, we're the kids of the future, everybody live cause the future is now... - Sem perceber a maioria batucava as batidas da música em suas mesas, alguns acompanhavam cantando, alguns apenas curtiam música, (Seu/Nome) poderia dizer que havia gostado.
   A música acabou e agora dava-se para ouvir alguns''uhuls'' e elogios, eles sorrindo agradeceram e deixaram o palco que agora novamente estava com as cortinas fechadas. Elas se entreolharam sorrindo ao que o sinal tocou anunciando que agora viriam duas tediosas aulas de matemática, detenção e matemática no mesmo dia? Era uma conspiração.
 - Tá afim de ver o treino de futebol comigo? - Stefany sugeriu e (Seu/Nome) pode ver Pâmela revirar os olhos. 
 - Mas e as aulas de matemática?


 - Nha! Cabular duas aulinhas não vai fazer mal algum, vai?
 - Bem, não mas... - Tentava achar a palavra correta quando foi meio que salva por um garoto sorridente que se sentou ao lado delas, ele tinha os olhos em tom castanho mel, a pele bronzeada e musculosa, os cabelos castanhos em um topete desajeitado, os lábios finos e um lindo sorriso, e é claro, uma pintinha em seu pescoço que (Seu/Nome) não pode deixar de observar.
 - Olá garotas! - Disse animadamente e se sentou entre Pâmela e Stefany.
 - Hey Leyum - Pâmela o cumprimentou com um beijo estalado na bochecha. Namorados? Era o pensamento que pairava na mente de (Seu/Nome).
 - Oi Liam - Stefany sorriu.
 - Quem é a novata aí?
 - Sou a... - Stefany a interrompeu.
 - (Seu/Nome) Lancaster, a garota nova e nossa mais nova melhor amiga.
 - (Seu/Nome) é? - Liam sorriu - Então foi você a novata que quebrou o nariz da Princesinha - Liam gargalhou.
 - Quem? - Perguntou confusa.
 - A Beatrice, (Seu/Nome) - Pâmela sorriu - Todos aqui a chamam assim - Revirou os olhos ao que (Seu/Nome) assentiu.
 - Tá mas, como sabe disso? - Stefany interrogou Liam - Pois que eu saiba, isso aconteceu na aula de Educação Física, e você não estava lá.
 - Se estava, estava escondido em algum lugar para ver as garotas de shortinho - Pâmela riu fazendo Liam fazer uma expressão indignada. 
 - Hey! Eu não sou esse tipo de pervertido, okay?


 Todas riram.
 - Estava no treino de box - Completou. Ah, então era assim que ele ganhava toda aquela massa de músculos, pensou (Seu/Nome).
- Tá, você estava no treino. Mas ainda não nos disse como soube disso.
 - Tem dois jeitos aos quais concluí isso - Ele disse roubando o pudim de Pâmela ao que ela protestou mas não tentou pegar a sobremesa de volta - O primeiro foi que saiu no jornal da escola - Deu uma colherada generosa em seu pudim.
 - O quê?! - (Seu/Nome) quase que gritou.
 - É, está aqui, primeira página - Jogou o jornal sobre a mesa ao que Pâmela logo o agarrou e passou os olhos pelo papel.
 - "Ótimo jeito de começar as aulas" - Ela leu o título dando inicio a leitura - A mais nova estudante de Harvard, (Seu/Nome) Lancaster, 17, logo em seu primeiro dia de aula arrumou um jeito de mostrar para o que veio ao quebrar o nariz da Princesinha de Harvard numa partida de vôlei [...] - Ela parou de ler para começar a rir - Ah meu Deus! Niall não perde uma chance de nos manter atualizados por meio do Jornal da escola - Riu.


 - Meu Deus... - Foi tudo o que a garota conseguiu pronunciar ao ver sua foto - que Niall havia tirada quando eles se encontraram no castigo - ao lado da de uma Beatrice completamente chorosa com as mãos no nariz ensanguentado - Mas como... Eu nem sequer vi ele tirar essa foto dela! Pra falar a verdade nem o vi no ginásio!
 - Não importa como ele conseguiu tirar essa foto, o que importa é que a patricinha ficou muito engraçada desse jeito - Stefany ria escandalosamente.
 - Eu tô ferrada.
 - Que nada! Você faz parte da turma agora, e nunca que deixaríamos elas fazerem alguma coisa com você - Liam disse finalizando seu pudim.
 - Turma?
 - É, nossa turma, já que você é amiga das garotas então também é minha amiga, certo? 
 - Certo - Ela se permitiu sorrir.
     O sinal logo tocou, anunciando que o intervalo havia chegado ao fim , Pâmela seguiu para sua aula de Química, Liam junto a Nick, um dos Jonas ao qual (Seu/Nome) teve o prazer de conhecer, seguiram para aula de Literatura, Stefany depois de muito insistir convenceu (Seu/Nome) a acompanha-la até o treino de futebol. O campo de futebol inteiro era imenso, mais do que imenso, era enorme, a grama perfeitamente cortada e esverdeada estava pintada de branco nos locais centrais, como gol, ataque, meio campo e etc, duas arquibancadas imensas uma a frente da outra, com carreiras e mais carreiras de lugares, algumas bandeiras e a rede do gol estava pintadas nas cores referentes ao time de Harvard, vermelho e branco. (Seu/Nome) se acomodou ao lado de Stefany na segunda carreira de assentos. O treinado Jason reuniu seus garotos, que concediam em usar meias de futebol vermelhas, chuteiras pretas, shorts brancos e a camisa também vermelha com os respectivos números em branco, o outro time estava vestido igual mais ao invés disso estavam com coletes em verde fluorecente. E mais uma vez o barulho irritante do apito do professor Jason deu inicio a partida de futebol, os times se misturaram no extenso campo e o juiz jogou a bola e então o jogo definitivamente começou, eles corriam de um lado para o outro tentando numa falha tentativa arrancar a bola dos pés de um dos garotos que pelo que percebeu era o capitão do time de futebol, ele era rápido e em minutos já havia conseguido driblar três garotos e partir para o gol, olhando para Stefany ela viu seus olhos brilharam enquanto tinha o olhar fixo no capitão do time, e em questão de minutos ele fez o gol, e Stefany comemorou, e depois disso o segundo, terceiro, quarto e por ai foi.
 - UHUUUL!!! ISSO TOMLINSON, MOSTRA PRA ELES COMO SE FAZ - Ela gritava histericamente comemorando o sexto gol no qual ele havia feito a poucos minutos.


   Louis sorriu olhando para Stefany e acenou para a mesma ao que logo depois piscou para ela, fazendo-a sorrir, (Seu/Nome) percebeu como a amiga olhava para o garoto e não se limitou em perguntar quem era ele, ou melhor, se eles eram namorados ou algo do gênero,
 - Quem é ele? 


 - Hum?
 - O garoto que a cada gol comemora olhando para você - Virou-se para a amiga sorrindo.
 - Ele não... Calma, ele faz isso mesmo?
  (Seu/Nome) riu.
 - E então, quem é?
 - Louis, Louis Tomlinson.


 - E você e esse Louis são namorados?
 - Quê?! Claro que não! De onde tirou isso?
 - Ah sei lá, o modo como ele te olha, e também o fato de você cabular aula pra vir aqui ver ele jogar.
 - Eu não cabulei aula só para vê-lo jogar - Falou convicta.
 - Não?
 - Não, eu apenas gosto de futebol. 
 - Sei...
 - É sério!
 - Não disse que não era - Sorriu e Stefany mostrou língua para ela e voltou sua atenção para o jogo, ou melhor para Louis, o garoto a cada novo passo que dava olhava para ela e sorria e inevitavelmente ela também o fazia, (Seu/Nome) via isso mais preferia evitar falar já que Stefany se negava a assumir qualquer coisa, mas isso não queria dizer que ela não tentaria fazê-la falar. 
 - Bem, esse Louis é um bom jogador afinal - Disse tirando a atenção de Stefany que estava presa a um Louis extremamente suado e esforçado que se alongava pronto para a próxima partida.


 - Um bom jogador? (Seu/Nome), ele é o capitão do time, consegue fazer diversos gols seguidos e é o jogador mais jovem a conquistar isso. Ele é perfeito! - Ela sorriu com a empolgação da amiga e logo em seguida arqueou a sobrancelha.
 - E você ainda diz que não tiveram nada - Stefany iria falar quando ela continuou - Qual é a deles? - Apontou com o queixo para mais adiante onde Harry estava sentado lendo algum tipo de gibi e logo em seguida Mikaelle aparece e coloca suas mãos em seus olhos o mesmo sorri, ela se senta ao seu lado e logo eles engatam em uma conversa em que ambos riem muito.
 - Os Styles? Bem, eles são gêmeos de óvulos diferentes como pode ter percebido - Ri anasalada - São os favoritinhos de Harvard bem, desde sempre, Mikaelle como pode ter percebido também, é o sinônimo de garota na qual todos dizem "Eu preciso transar uma vez na vida", é líder de torcida, patricinha, metida, enfim, tudo de ruim que imaginar, Harry não é tão diferente dela, a popularidade sempre esteve a favor tanto dele como dela, ele é aquele cafajeste em pose de príncipe encantado que todas querem e desejam, e tem uma ótima lista de garotas com quem dorme em noites diferentes, o pai dos dois é um dos magnatas mais poderoso, milionário de toda a Inglaterra, e bem, eles tiram proveito disso.
 - Se não me dissesse que são irmãos julgaria que tivessem algo.
    Stefany sorri.
 - É a primeira impressão que quase todos temos.
 - E Louis e Beatrice? Bem, eles também são do grupinho popular?
 - Uhum, e sempre conseguem tudo o que querem, Louis por ser o popular que tem todos os troféus da escola e Beatrice por ser a Princesinha de Harvard, e também por seu pai ser o xerife da cidade.
 - Uau!
 - É, uau.

Zayn P.O.V's

     Era mesmo necessário me apresentar para a sala toda? Não, e digo isso considerando o fato de que faziam isso na pré escola. De qualquer modo, ali estava eu, de pé ao lado do professor que insistiu em me apresentar para todos, minhas bochechas já não coravam mais, gosto de pensar que elas não coram por que cansaram das tantas vezes que fui exposto ao ridículo. Ignorei as risadinhas, ofensas e também o ''Como foram as férias no reformatório?'' de um idiota qualquer que não me dei ao trabalho de observar, apenas subi mais a alça de minha mochila e caminhei até a última carteira no canto direito da sala. Quis agradecer aos céus quando o número par de alunos me impediu de formar dupla com alguém para a tarefa. Observei os tortuosos canos dos tubos de ensaio e os líquidos coloridos com nomes complicados demais enquanto colocava meu conjunto de, jaleco, óculos de proteção e luvas de borracha. Tentei ao máximo prestar atenção enquanto o professor explicava sobre os diferentes - e que nunca deveriam ser misturados - líquidos ali, me identifiquei um pouco com a explicação do professor, eu era diferente e parecia nunca dever ser misturado com o resto das pessoas mas ao meu ver eram ambos iguais já que eram transparentes como água, eram milhões de células formando um todo igual apenas com nomes diferentes que ao meu ver eram os esteriótipos colocados sob mim pela sociedade e as pessoas com quem infelizmente tenho de conviver porém nunca fui bom em química e não questionaria o professor se aquilo era certo ou errado. Não como se eu odiasse cada pessoa que me odeia ou já me odiou, mas a partir do momento que isso atinge minha família e a quem amo isso se torna um sentimento mútuo. Era difícil acompanhar o professor escrevendo no quadro durante a aula teórica, por vezes tive de comparar a palavra ''fosfato'' escrita de caneta azul no quadro branco com a do meu caderno.
   Os alunos conversando durante a explicação do professor incrivelmente me incomodaram um pouco, se eu não servia para fazer amigos como minha mãe queria eu tinha de ser ao menos inteligente. As vezes eu me pegava talhando algum desenho qualquer na mesa com a faca para dissecação de sapos e minhocas, dessa vez havia desenhando uma zumbi de biquíni. Não, não fazia o menor sentido uma zumbi usar um biquíni, mas eu gostava de zumbis e garotas de biquíni e me pareceu algo legal de se desenhar. Uma das qualidades de se ser ''caladão'' - como diversas vezes me chamavam - ou anti social é que você acaba sendo bem observador. Eu sempre acabava descobrindo algo sobre as pessoas simplesmente pelo jeito como agiam, sem nem perguntar, o que é bom por que eu sempre sei o que esperar das pessoas, ninguém se torna inevitável. As vezes percebo coisas sobre pessoas e lugares mesmo sem querer, todas as vezes que me senti envergonhado eu tentava me concentrar em algo para tentar esquecer esse sentimento. Certa vez tirei dez em astronomia pois ao ter de ler na frente de toda a sala acabei por me concentrar em um cartaz com o sistema solar que havia na parede.
   Mas isso tem suas desvantagens, ás vezes você descobre coisas que preferia não saber sobre as pessoas, até mesmo as que ama, como da vez em que descobri que o ''Papai Noel'' na verdade era apenas meu pai com uma fantasia ridícula me iludindo e ás minhas irmãs, eu tinhas uns seis anos então foi triste para mim, me senti um idiota. Mas ainda sim optei por esconder a verdade de minhas irmãs menores para evitar dores, elas descobririam uma hora ou outra. Só percebi que havia vagado em meus próprios pensamentos quando fui ''acordado'' pelo barulho da porta da sala, o professor havia saído e eu nem sequer sabia por que.
- Horan, Horan - Joe meio que deu um sussurro gritante para Niall. Não, eu nunca havia sequer trocado uma palavra com ambos, mas como eu disse, sou observador - Qual é a resposta da questão quatro?


- Eu não s... -  Joe fez um aceno para que o louro se aproximasse e observando a porta por alguns segundos ele o fez - Ainda não respondi essa - Joe apenas estalou os dedos da mão todos de uma vez cerrando os punhos, Niall pareceu pensar distraído enquanto Joe sorrateiramente trocava os tubos de ensaio do lugar - C, é a C! - Niall quase que gritou se arrependendo logo depois. Ele voltou para sua mesa.
    O professor havia voltado com um outro livro, escreveu algo no quadro e depois se virou para nós.
- Zayn - Gelei levando minha atenção até ele - Poderia me responder a questão quatro?
- Eu... Hãm... - Eu sabia, não precisei ouvir Niall para isso, havia estudado mas na hora simplesmente empaquei.


 Joe tomou a frente levantando a mão.
- C, é a C professor - Disse com sorriso no rosto como se orgulhasse-se de ter estudado e soubesse a resposta, a expressão de Niall era uma mistura de espanto com arrependimento, quase ri.
     Oito gotas com conta-gotas, exatamente oito, nem mais, nem menos, eu estava fazendo tudo como achava ser correto e isso havia resultado num líquido verde borbulhante, o professor passou por mim sorrindo e assentindo e me senti um pouco melhor sobre não ter conseguido responder á pergunta.
- O professor vai passar por aí e vocês ainda não responderam a questão cinco - Afirmou Beatrice e fez um gesto com as mãos para que Pâmela despejasse o líquido do tubo de ensaio no outro recipiente, ela piscou e sorriu com uma falsa gentileza.
   Alguns segundos depois o liquido do tubo de ensaio de Niall e de Pâmela começou a borbulhar e meio que explodiu sujando ambos.
- Mas que... - A Pâmela se auto interrompeu.
    Niall gritava e apontava para si mesmo como se aquilo ardesse ou queimasse sua pele.
- Sr Horan, você deveria saber que essa fusão química não agride a pele - Disse o professor ainda interessado em seu livro e ele se calou por alguns segundos.
- Ah é - Sorriu fraco e deu de ombros, quase ri de novo.
- Bem, que isso sirva de lição para a próxima aula - Disse o professor baixando os óculos e analisando a bagunça - Alguém sabe por que isso aconteceu? - Dessa vez foi Beatrice quem levantou a mão.
- A fusão fez com que ao aumentar a quantidade de gás foi provocado o surgimento de bolhas que se expandiram e que tenderam a escapar na forma de um jato explosivo. - Ela sorriu também falsamente orgulhosa e o professor assentiu, ela e Joe sorriram fazendo um high-five.



 Pâmela e Niall sorriram sínicos provavelmente enraivecidos. Eu ainda teria muito a descobrir sobre essas malditas pessoas mas acho que algumas coisas talvez sejam transparentes de mais a ponto de não precisar.
   Ouvi o vibrar ritmado de meu celular no bolso de minha jaqueta, eu havia a pendurado no encosto de minha cadeira quando tive de colocar o jaleco. Achei-o no bolso interno e peguei-o, com cautela para que o professor não me notasse o desbloqueei e notei a mensagem no mesmo.

"O reformatório parece ter sido um bom spa e você fica bem de laranja, uma única palavra e é para lá que você voltará - A"

   Já havia passado por coisas desse tipo mas não podia evitar de sentir meu rosto esquentar em raiva, automaticamente procurei por alguém em um celular porém haviam alguns alunos e eu sou aquele tipo de pessoa que precisa desconfiar de todos sem exceção, ignorei, era só mais um dia em que sou odiado e como em muitos outros.
Niall P.O.V's  

    Eu estava completamente esgotado, os primeiros dias de aula nunca eram os mais fáceis mas fazer o que? A maioria do pessoal já tinha ido embora, mas como sempre eu havia me voluntariado para ficar depois da aula e arrumar tudo, depois de já ter arrumado os livros por ordem cronológica, ajeitei as carteiras e apaguei as luzes da sala, ajeitei meus óculos que nunca estavam no lugar onde deveriam estar, apanhei minha mochila e fui em passos lentos até meu armário, coloquei a combinação correta e o abri, alguns livros caíram assim que abri o armário e eu me alto amaldiçoei por nunca arrumar e organizar aquele bendito armário, me agachei organizando os livros, os soquei dentro do armário e peguei minha câmera, e bati a porta a fechando, suspirei e estava pronto para ir em direção a ala do jornal da escola e terminar as matérias pendentes quando eu o vejo. Fechei os olhos e murmurei um "droga". Por que raios eu nunca sou o único a ficar na escola por mais tempo?
   Mudei meu rumo e tentei fugir dele sem ser notado, mas como sempre nunca dou essa sorte, conclui isso assim que o ouvi pronunciar meu nome, no mesmo tom de sempre, ou melhor, no mesmo tom de quem quer alguma coisa.
 - Horan! - Contei até cinco e me virei o encarando.
 - Tomlinson! - Finge uma falsa animação.


 - Estava tentando fugir de mim?
 - Eu?! Puf! - Empurrei seu ombro e me arrependi assim que ele me olhou com uma cara nada boa - Claro que não!
 - Sério? Por que não foi o que pareceu.
 - Você deve ter se enganado.
 - Está querendo dizer que sou burro? - Se a carapuça lhe servi, pensei.


 - Não, nunca, eu apenas... - Suspirei - Enfim, se veio aqui é por que quer que eu lhe faça algum favor.
 - Horan, esperto como sempre - Ele falou e puxou sua mochila mais para frente e retirou de lá seus livros de matemática, equações e álgebra, e algumas folhas de caderno e me entregou - Os treinos de futebol estão tomando muito do meu tempo, então não posso ocupar minha cabeça com essas contas inúteis, no entanto, o meu professor de álgebra parece não se importar com isso e me encheu de trabalhos, sem contar que não compareci a aula de matemática hoje devido o treino, e tenho lições de equações que tem de estar prontas até o final dessa semana - Ele falava sem parar enquanto eu tentava acompanha-lo em suas muitas informações - E adivinha só quem terá a honra de fazer todos esses trabalhos para mim?
 - Eu?
 - Na mosca! - Empurrou as folhas, livros e cadernos para mim - Preciso disso tudo pronto pra ontem, caso o contrário já sabe o que irá lhe acontecer.
 - Não posso.
 - O que disse?
 - Isso mesmo que ouviu, eu não posso, se quiser que eu faça seus trabalhos terá que esperar, eu também tenho muitos trabalhos para adiantar.


 - E eu lhe perguntei alguma coisa Horan? Pouco me importa os seus trabalhos ou muito menos você, a única coisa que me importa agora é que você trate de começar tudo isso antes que eu não responda mais pelos meus atos - Me agarrou pela gola da camiseta e me prensou no armário com força fazendo eu bater minhas costas e cabeça - Estamos entendidos?


 - Si-sim - Foi tudo o que consegui pronunciar na hora.
 - Perfeito - Sorriu sínico. E com uma soco abriu a porta do meu armário e como previsto me jogou dentro do mesmo - Espero que se divirta com os números, Horan - E dito isso ele trancou a porta do armário - Não se esqueça da conclusão! - Foi a última coisa que ouvi ele dizer antes de bufar e pegar o meu celular para tentar iluminar o local minusculo na qual eu infelizmente já estava familiarizado, Louis sempre me trancava em meu próprio armário, fosse por diversão ou porque eu não me "comportei" bem e o respondi ou me neguei a fazer alguma coisa na qual ele pedira, e como sempre eu ficava longas horas preso até que alguma alma caridosa me ouvisse e abrisse a porta para mim.
   Comecei sentir o ar me faltar nos pulmões, as palmas das mãos começarem a soar frio e o incomodo de parecer que o local ia ficando menor a cada novo segundo, ótimo, já não bastava eu ter fobia de ficar em lugares fechados agora um ataque de asma, perfeito! Tentei controlar minha respiração enquanto procurava pela minha bombinha de asma, não a encontrei e foi como se meu pulmão começasse a pegar fogo, respira Niall, respira, você já passou por isso uma vez e vai conseguir sair dessa, era a mensagem que tentava passar para o meu cérebro enquanto ainda procurava a bombinha, já estava começando a ficar assustado foi aí que meu peito começou a doer muito e eu não pude evitar tossir sem parar enquanto meu coração disparava feito um louco, comecei a bater na porta do armário enquanto ainda tossia até que escuto passos do lado de fora e bati com mais força até a porta ser aberta e Kevin me puxar para fora rapidamente, ele estava apavorado e rapidamente me colocou sentado com as costas no armário e as mãos no joelho, revirou minha mochila em busca da bombinha e logo a encontrou e me entregou, inalei uma vez e depois mais uma e tentei respirar de forma regular, me livrei do meu suéter e inalei mais uma vez, e mais uma, e fui tentando normalizar minha respiração, Kevin se sentou a minha frente e me observava atentamente, uma das mãos estava em meu ombro enquanto ele tentava me passar conforto para que tudo ficasse bem, inalei novamente e respirei fundo, sentindo a dor no peito parar aos poucos, respirei e fiz duas inalações.
 - Vamos lá Niall, você já passou por isso, sim? - Ele me olhava preocupado, procurou por alguma coisa em sua mochila, e retirou de lá um livro, ao que logo reconheci "O apanhador no campo de centeio" o livro que eu o tinha emprestado - Vamos, leia essa frase inteira - Apontou para o livro, estava meio zonzo mais consegui entender o que estava escrito.
 - A maioria...  -  Puxei ar - Das... - Inalei - Pessoas ou não sabe... - Respirei fundo - Sorrir ou tem um... - Inalei mais uma vez -  Sorriso pavoroso... - Finalizei e dei um meio sorriso e inalei mais uma vez.
 - Respira - Aconselhou e eu o fiz e inalei mais uma vez e ele apertou meu ombro de leve - Isso, agora leia a frase novamente com uma única inspiração de ar.
 - A maioria das pessoas ou não sabe sorrir ou tem um sorriso pavoroso - Sorri e pendi a cabeça para trás buscando por ar e logo me sentindo bem melhor.
 - Melhor? - Kevin questionou.


 - Sim, obrigado bro - Kevin se levantou e me ajudou a fazer o mesmo.
 - Deixa eu adivinhar, Louis de novo? - Assenti.
 - Ás vezes ser o mais inteligente da escola tem sua porcentagem de coisas ruins - Disse rindo anasalado e Kevin me empurrou de leve.
 - O segundo mais inteligente.
 - Ah é? E quem é o primeiro?
 - Eu, óbvio.


 - Ahan, não me admira você nunca ter ficado preso em seu próprio armário.


 - Tem razão, é que eu tenho a vantagem de ser irmão do Joe, que possivelmente é amigo do Louis, o valentão, então acabo ganhando alguns pontinhos - Brincou e eu ri - Estava indo para a ala do jornal da escola?
 - Era o plano inicial.
 - Eu já terminei por lá, então não vai ser possível te acompanhar, mas se cuida - Ele acenou e eu assenti e subi os primeiros degraus da grande escadaria, segurava a câmera e apertava a bombinha de ar em minhas mãos, era um tanto assustador andar pelos corredores sem aquela agitação costumeira, mas depois de muito tempo ficando depois da aula acabei me acostumando, abri a porta e coloquei minha câmera em minha mesa e comecei a pegar as coisas necessárias para poder começar meu trabalho, me joguei na cadeira de rodinhas e comecei a digitar  frenético enquanto olhava o progresso das fotos sendo escaneadas, pensava nas palavras para colocar na matéria mais me interrompi assim que as fotos já tinham sido escaneadas, cliquei em "abrir" e logo as fotos apareceram na tela, os traços naturais, a pele linda, e um sorriso caloroso eram presentes na foto de (Seu/Nome) que eu havia tirado, me peguei sorrindo ao observar a foto, ela realmente era linda e sem chance de dúvidas não se parecia nada com o restante das garotas perfeccionistas daquele colégio, senti meu celular vibrar em meu bolso e o peguei ainda sem tirar a atenção da foto, rapidamente fui em direção a caixa de entrada e lá se encontrava uma nova mensagem de um número privado, franzi o cenho mais mesmo assim não hesitei em abrir a mensagem.

"Parece que você não aprende mesmo, hein Niall?! Já esta se apaixonando pela garota que conheceu a alguns dias. Isso tudo é apenas saudades de ter um coração partido? - A"

  Me virei rapidamente procurando por alguém mais não encontrei nada, foi como se estivesse sendo observado, mas não tinha ninguém ali, apenas eu e aquela mensagem bizarra que acabará de receber.

Narrador On.

    Ela caminhava devagar, os passos contados e lentos, suas amigas já haviam saído e iriam para o caminho contrário ao dela. A mochila em suas costas pesava um pouco embora ela tivesse deixado alguns de seus livros no armário. O corredor já estava vazio, uma brisa gelada dançava pelo ar sorrateiramente arrepiando sua pele ao tocá-la, só se era possível ouvir o som de seus passos e o silvo amedrontador do vento passado por algum espaço mínimo. Ela sentia a sensação de se estar sendo observada embora estivesse sozinha, ou achasse estar. (Seu/Nome) olhou para todos os ângulos possíveis, não havia ninguém que ela pudesse ver ali, então por que a sensação de estar sendo observada ainda lhe dava frio na barriga? Não soube responder. Ela pisou fora do campus coberto por folhas marrons e avermelhadas de outono, o vento havia juntado algumas num monte e ela pensava em quando era criança e adorava pular nas folhas secas, era uma vã tentativa de sentir segurança. Já havia ligado para seu pai mas não vira seu carro do lado de fora dali. A rua estava deserta, ela queria que ele viesse buscá-la logo. Felizmente ela alguns minutos depois avistou seu carro virando a esquina, suspirou aliviada e caminhou até o carro assim que o mesmo estava a sua frente. Ela sorriu fraco para seu pai que selou-lhe a testa e adentrou ao veículo.
- Como foi o primeiro dia na escola nova filha? - Perguntou afim de puxar assunto.
- Bom - Mentiu, não totalmente ela havia feito amizades mas esse não era um dia com o qual ela classificaria como ''bom''. Colocou o cinto de segurança e ouviu as travas das portas se fecharem assim que seu pai deu partida.
   Sentiu seu celular vibrar ao mesmo tempo que sentiu sua barriga gelar, tirou o celular do bolso e  o desbloqueou ansiosa.

"Esse dia péssimo não estaria completo sem uma mensagem minha, tente de novo, nem sempre a alternativa mais óbvia é a correta -A"


   Ela automaticamente olhou para trás, não estava tão longe, ainda daria para ver Harvard. Procurou por alguém em um celular ou algo do tipo mas não viu nada além de Mikaelle e Beatrice rindo e conversando, Beatrice parecia mostrar as grandes unhas pintadas de vermelho para a amiga que sorria e comentava algo, elas não estavam com seus celulares. Não haviam outras pessoas ali, não havia mais ninguém que desse para ver dali. Ela só queria saber quem era esse estúpido com essa brincadeira idiota e ter uma conversa séria com essa pessoa, ela tentou todas as opções que podia, o número era restrito, ela não podia responder e muito menos ligar para o número, quem quer fosse era esperto, esperto e desocupado. Ela não podia fazer nada além de cada vez que recebesse uma mensagem olhar em volta e procurar alguém em um celular. Foi desperta de seus pensamentos por seu pai.
- Está falando com suas amigas?
- Não, a mensagem era da operadora mesmo - E outra mentira, isso estava muito errado.

    O resto do dia foi um total tédio, foi rotineiro na verdade, (Seu/Nome) almoçou, fez as lições, assistiu mais um pouco de The Walking Dead - pela segunda ou terceira vez -, leu, jantou, e estava pronta para ler mais um pouco. Ela se jogou na cama enquanto encara o teto, os braços aberto e a cabeça pendendo um pouco para fora da cama, ficou nessa posição até começar a sentir seu sangue ir para a cabeça e se levanta, ela era um pouco estranha ás vezes. Apagou as luzes de seu quarto  e caminhou até a pratilheira de livros a procura de A Ascensão do Governador, no caminho acabou por bater o pé na escrivaninha se auto repreendendo logo depois por ter apagado a luz antes de acender a luminária. Se sentou na escrivaninha ligado sua luminária e leu por algum tempo, duas páginas e meia foram necessárias para que a lâmpada da luminária começasse a falhar e queimar de vez. Ela se irritou, isso era realmente o mundo conspirando contra a sua felicidade. A luz da lua cheia sob o vidro de sua janela era a única coisa iluminando o cômodo agora, se levantou pronta para ir se deitar antes que seu dia pudesse piorar e foi quando algo a chamou a atenção. Da janela de seu quarto ela podia ver a de Niall e podia ver também o que este estava fazendo. Ele tinha os cabelos meio bagunçados e uma expressão cansada mas com apenas a luz avermelhada de algum aparelho ele imprimia as fotos de sua câmera Polaroid e as pendurava. Havia um tipo de recipiente com água em sua escrivaninha onde antes de pendurar ele colocava as foto. Ela abriu sua janela se debruçando sob o parapeito, o vento frio tocava sua pele quente criando uma fusão térmica agradável e soprava algumas mechas de seu cabelo, ela ficou ali por um tempo apenas o observando em silêncio. Concluiu que de fato nada era tão ruim para durar tanto tempo, no fim das contas ela havia tido um dia normal. Ou pensava isso até Niall fechar suas persianas e entediada de certa forma obrigá-la a ir se deitar, ela não teria se importado em passar mais algum tempo ali.

   As ruas estavam desertas como o previsto, as luzes das casas apagadas, e os postes de luz eram os únicos que iluminavam as ruas, podia-se ouvir o barulho sonoro dos grilos, e alguns passos calmos que faziam barulhos devido as pedras, as mãos no bolso do casaco negro, o capuz do casaco negro não permitia ver o rosto, os coturnos negros nos pés, e o sorriso sacana nos lábios perfeitos, ou até mesmo, nos lábios errados, os olhos verdes estavam mais escuros mas isso nem ao menos importava, as mãos acariciavam o aparelho, e o retirando do bolso ele discou para o primeiro número da lista, que ao primeiro toque já atendeu.
 - Já estou aqui. Pode mandar as mensagens agora - Sorriu deixando as covinhas aparecerem. Desligou o aparelho e pegou as chaves do bolso, colocou as luvas de couro negro e abriu a porta revelando a imensidão de fotos, aparelhos, computadores, e alvos, pegou a mala de couro marrom posta no lugar dito, a colocou no ombro, caminhou até o pequeno espelho que tinha ali, retirou o capuz e sorriu, puxou os cachos para trás enquanto olhava sua imagem sendo refletida pelo espelho.
 - Isso é apenas o começo de algo muito bom - Harry disse para seu reflexo e em seguida gargalhou.

CONTINUA...


<< Capítulo Anterior                                                                                                                                                                                           Próximo Capítulo >>


A música que os Jonas Brothers cantaram nesse capítulo foi "Kids Of The Future", quem quiser dar uma olhadinha nela aqui está link clicando aqui  - gente é uma música muito louca, então recomendo -
 Hello girls! Tudo bom com vocês? Espero que sim, gente, nem sei como agradecer pelos comentários pq tipo. WOW vocês são mais doq perfeitas e me sinto muito feliz em saber que estão gostando sério. Enfim, eu e  a Bea estamos tentando manter vocês sempre atualizadas, por isso estamos postando até que rapidinho. Mas lembrando que postando conforme vocês comentam.
Alguém ai que gosta dos Jonas? hihi eles são perfeito, não? Eai gente alguma ideia já de quem possa ser -A? É uma ideia precipitada eu sei mas nunca se sabe. Bem, muita dó do Niall tendo ataque de asma, mais o engraçado é que ele ironiza quando esta tendo o ataque o que é meio cômico pq quem ironizaria numa hora dessas? gkjmtkljy   Alguém ai é do lado negro da força? Quem ai está gostando das vilãs de Harvard?  E quem aqui ama TWD?? Muito fofo o pensamento do Niall pela (S/N) e igualmente o dela por ele. Espero que tenham gostado e nos digam o que mais gostaram nesse capítulo, enfim comentem MUITO 
Comentem! Comentem!  
 A você que leu, Sara ama você :) x